Sunday, 24 September 2017
Artigo: Glossário Técnico CFTV
Glossário Técnico CFTV

O Glossário Técnico ora apresentado, focando CFTV- Circuito Fechado de TV e CFTD- Circuito Fechado de TV Digital, é uma ampla compilação, desenvolvida pela PROTecnos Tecnologia em Segurança Eletrônica, junto a alguns dos principais Glossários existentes no mercado e fontes alternativas do conhecimento- destacando-se a Wikipedia como tal. Excelente e muito útil síntese tecnológica a serviço da Segurança Eletrônica.

 


 

GLOSSÁRIO TÉCNICO CFTV – CIRCUITO FECHADO DE TELEVISÃO

A

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

A-Band Banda A Faixa de frequências destinadas a exploração deserviços de telefonia celular, pelas operadoras de serviço público.
Aberration Aberração Termo técnico de ótica, para designar qualquer fator que influencie na fidelidade de uma imagem, em relação ao original.
AC- Alternate Current CA- Corrente Alternada: Forma de corrente alternada, oscilando em determinada frequência (ex. 50 / 60 Hz). Exemplo de AC é a energia fornecida para uso cotidiano (110 / 220 Vac).
ActiveX   Padrão que permite que distintos componentes de software interajam entre si em ambiente de rede, independentemente dos códigos utilizados para criá-los. Quando requerido, os navegadores da Web automaticamente acessam o Controle ActiveX, Documentos ActiveX e Scripts ActiveX, que são baixados e instalados, conforme requerido.
ADSL- Asimetrical Digital Subscriber Line   Sistema que possibilita a transmissão de banda larga (até 9 MHz) nos cabos telefônicos metálicos já existentes. É a mais comum das tecnologias xDSL, que são vistas como possíveis estágios intermediários na transição para redes totalmente óticas.
AFC- Automatic Frequency Control   Controle Automático de Frequência ­ circuito eletrônico para o controle de faixa de frequência de um oscilador, impossibilitando sua alteração.
AGC- Automatic Gain Control CAG- Controle Automático de Ganho Circuito eletrônico com feedback (realimentação), controlando determinado nível de tensão para mantê-lo num intervalo de valores. Ativado (AGC On), busca melhorar o sinal de vídeo em baixas condições de iluminação, entretanto podendo em certas circunstâncias induzir ruido de fundo na imagem, exigindo que o AGC seja desativado (AGC Off).
ALC- Automatic Level Control Controle Automático de Nível Também conhecido como Média dos Picos (Peak/Average), facilidade dos circuitos da câmera em responder, mais adequadamente, aos excessos de luz ou a cenas mais escuras- pela média da iluminação.
Aliasing   Ocorrência surgida durante a amostragem de dados por interferência. Isso pode aparecer na projeção de imagens de CCD com altas freqüências, sendo também conhecido como ‘Franjas de Moiré’. Pode ser reduzida ao mínimo utilizando-se a técnica conhecida como ‘filtragem ótica com filtro passa-baixos’.
Alphanumeric Vídeo Generator (ou Text Inserter) Gerador Alfanumérico de Vídeo Gerador de caracteres alfanuméricos para vídeo, utilizado para incluir informações complementares, em forma de texto, geralmente junto à imagem sendo apresentada. Pode variar de um ou dois caracteres até um texto ocupando toda a tela. Em geral, esses geradores utilizam o pulso sincronizado do sinal de entrada de vídeo como ponto de referência para a inserção do texto, o que significa que, se o sinal de vídeo for de baixa qualidade, o mesmo ocorrerá com o texto.
AM- Amplitude Modulation AM- Amplitude Modulada Amplitude modulada do sinal da onda de rádio frequência.
Ambient Light Luz Ambiente Nível geral de iluminação de um determinado ambiente ou cena filmada.
Analog Signal Sinal Analógico Tensão elétrica diretamente proporcional a uma entrada de sinal (input), gerando uma correspondente alteração de saída de sinal (output). Propriedade de um equipamento ou sinal (ótico ou elétrico) guardar semelhança com o sinal que o gerou. Exemplo: sinal elétrico gerado pela conversão da voz humana através de microfone.
Analogic Camera Câmera Analógica Equipamento ótico-eletrônico analógico, dedicado a filmagem de imagens e reprodução de sons, gravando-as em DVR- Digital Video Record (ver), permitindo o acesso às imagens localmente ou pela pela Intranet (rede local) e Internet, através de banda larga.
ANSI- American National Standards Institute   Instituto Nacional Americano de Normas.
Anti-Aliasing   Procedimento utilizado para eliminar ou reduzir (por filtragem ou atenuação) os efeitos de ‘aliasing’.
APD- Avalanche Photo Diode Foto Diodo de Avalanche Fotodiodos que combinam a detecção de sinais óticos com amplificação da fotocorrente. O ganho interno se realiza através da multiplicação avalanche de transportadoras na região da junção. Sua vantagem é uma razão elevada de sinal-ruído, especialmente a altas taxas de bits.
Aperture Abertura Abertura em uma lente, o que controla a quantidade de luz atingindo a superfície do dispositivo captador. A dimensão dessa abertura é controlada com o ajuste da íris. Se aumentado o número ‘F-stop’ (F/ 1.4, F/1.8, F/2.8) será admitida à passagem de uma quantidade menor de luz através do elemento captador.
Apostilb   Unidade fotométrica utilizada para medir a luminância, aplicando-se valores em lumens, (em vez de candelas), para expressar o valor do fluxo luminoso de uma fonte.
Aramida   Material dielétrico sintético, em forma de fibra, leve e com grande resistência mecânica à tração, utilizado em substituição ao aço como reforço em cabos. Muito conhecido por uma de suas marcas comerciais Kevlar.
Archive Arquivo Estocagem de imagens ou dados em algum tipo de midia.podendo ser em HD, pen-drive, disco ótico e etc.
Armour   Proteção inerente a um cabo que previne curtos-circuitos e choques elétricos, que podem ocorrer em cizalhamento (corte) ou atritos mecânicos.
ARP- Adress Resolution Protocol   Busca efetuada via rede local que associa um endereço IP (ver) com um endereço de hardware MAC.
Artifacts Artefatos Componentes espúrios ou defeitos na imagem de vídeo. Estes podem ocorrer normalmente no processamento de vídeo, devendo ser eliminados para se conseguir uma imagem de alta qualidade. Os mais comuns são ‘cross-color’ (cruzamento de cor) e ‘cross-luminance’ (luminância cruzada).
ARTPEC- Axis Real Time Picture Encoder   Chip projetado pela Axis para o algorítmo de compressão de imagens ARTPEC, suportando sensores CCD e CMOS, possuindo compensação de luz de fundo, redução de ruído, equilíbrio do branco e suporte para múltiplas formas de detecção de movimento.
ASCII- American Standard Code for Information Interchange:   Código padrão de 128 caracteres em formato binário, representando letras maiúsculas e minúsculas do alfabeto, algarismos, símbolos especiais, além de 32 códigos para controle. Cada caractere é representado por 7 bits, podendo ser codificado um byte (8 bits). O bit extra pode ser utilizado conforme a plataforma do processador. No PC para os símbolos gráficos e caracteres de outras línguas. No Macintosh de forma livre- definida pelo usuário.
ASIC- Application Specific Integrated Circuit   “Circuito projetado para uma aplicação específica, portanto mais eficaz, em detrimento a circuito de uso geral, como o microprocessador. “
Aspect Ratio   Relação de largura e altura para a filmagem e visualização de imagens. Utiliza-se para a televisão comercial e monitores a relação 4:3. Em televisão de alta definição (HDTV) a proporção é 9:16.
Astigmatism Astigmatismo Lente curva que apresenta uma superfície não-esférica. Sua fabricação é mais difícil e mais cara, mas oferece inúmeras vantagens sobre a lente esférica convencional.
Asynchronous Assíncrono Sem sincronismo. Em vídeo, um sinal é assíncrono quando sua freqüência difere daquela do sinal de referência. Falta de definição apresentada nos campos próximo e afastado de uma imagem. Método de transmissão no qual cada caractere da informação é individualmente sincronizado, normalmente pelo uso de indicadores de “inicia/para”. Ver também Transmissão Síncrona.
AT&T- American Telephone & Telegraph   Tradicional empresa norte-americana, com forte atuação na área de telecomunicações.
ATM- Asynchronous Transfer Mode:   Sistema de transferência e comutação no qual a informação não é periódica, com relação a um tipo qualquer de referência, como por exemplo o número de telas apresentado por unidade de tempo.
ATSC- Advanced Television System Committee   Organização americana encarregada de estabelecer os novos padrões para a televisão de alta definição- criadora do padrão NT
Attenuation Atenuação Redução da amplitude de uma forma de onda ou sinal periódico à medida que atravessa um meio ou um circuito elétrico, medida em decibeis- dB.
Attenuator Atenuador Circuito que reduz a amplitude de um sinal elétrico em decibeis- dB, sem introduzir considerável distorção na fase ou na freqüência desse sinal..
Auto Iris- AI Auto Íris- AI Mecanismo da lente que ajusta automaticamente o nivel de entrada da luz ambiente, à medida que ela varie, visando não expor o sensor de imagem a alta ou baixa incidência de iluminação- que produz imagens leitosas ou escuras. Consiste de um diafragma alojado no corpo da lente- que abre ou fecha a entrada de luz, controlado pelo circuíto da câmera. Imita a íris humana.
AUX Auxiliar Circuito ou conector auxiliar.
AVI- Audio Video Interleave   Formato de vídeo que suporta simultaneamente reprodução de áudio e vídeo.
AWB- Auto White Balance Balanço Automático do Branco Função que assegura adequada representação das cores claras do ambiente filmado, sem distorcer para o vermelho ou azul. Presente em câmeras CCD (ver) coloridas, que independentemente de adequada resolução e condições mínimas de iluminação, exigem acurada reprodução de cores. Geralmente a calibragem de uma câmera é feita expondo-a a cor branca, procedimento que parametriza fatores de correção em sua memória, que são utilizados para equalizar todas as outras cores.
AWG- American Wire Gauge   Padrão americano para diâmetros (bitolas) de fios condutores. Quanto menor o número AWG tanto maior será o diâmetro do condutor.

B

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

Back Focus   Mecanismo de ajuste do foco da câmera, movendo o sensor de imagem em relação à posição da lente, acomodando diferentes comprimentos focais, na utilização de ajustes de lentes fixas ou zoom.
Back Porch   Parte do sinal que aparece durante a inibição de um sinal de vídeo, desde o final da sincronização horizontal até o início efetivo do vídeo. Parte do sinal de inibição de vídeo que está entre a faixa de seguimento de um pulso de sincronização e aquela do pulso correspondente. O disparo da cor encontra-se no Back Porch (ver).
Backbone   Linha de alta velocidade onde se conectam os principais servidores da Internet. Na rede existem vários backbones.
Balanced Signal Sinal Balanceado Na técnica de CFTV refere-se ao tipo de transmissão de sinal de vídeo através de cabos de pares trançados. Tem o nome de balanceado porque o sinal, ao passar através dos dois cabos, fica exposto igualmente à interferência externa; dessa forma, quando esse sinal atingir o ponto de recepção, o ruído estará eliminado na entrada de um estágio da memória intermediária (buffer) diferencial.
Balun Conversor para Par Trançado Em conectividade de CFTV, casador de impedância de 75 para 100 Ohms, também utilizado para transformar um sinal desbalanceado, proveniente do cabo coaxial, em um sinal balanceado- conduzido por par trançado, daí casando a impedância de 100 para 75 Ohms- conectando-se novamente com o cabo coaxial.
Baming Transmissão IR Transmissão infravermelha de dados sem fio, de um dispósitivo para outro. A radiação infravermelha (IR) divide-se em três regiões do espectro, com comprimentos de onda expressos em microns. A primeira banda IR é a mais próxima ao comprimento de onda visivel, em torno de 0.750 a 1.300 5 (750 a 1300 nm). A banda IR intermediária possui amplitude de 1.300 a 3.000 5 (1300 a 3000 nm). A banda IR longa estende-se de 2.000 a 14.000 5 (3000 nm a 1.4000 x 10 4 nm). A transmissão infravermelha é utilizada em controles remotos de aparelhos domésticos: TVs, aparelhos de som, etc.; wireless em redes locais; ligações entre computadores; modens sem fio; detecção de intrusos; câmeras de visão noturna; equipamento de diagnóstico médico; sistemas de direção de mísseis; etc.
Bandwidth Largura de Banda Faixa completa de freqüências na qual um circuito eletrônico podem operar com perda mínima de sinal (geralmente menor do que 3 dB). Nos sistemas PAL a largura de banda limita a freqüência máxima do sinal visível em 5,5 MHz; no sistema NSTC esse valor limite é de 4,2 MHz. A freqüência de amostragem do padrão ITU 601 para a luminância de canal foi escolhida com o valor de 13,5 MHz, para permitir a representação fiel da luminância das bandas PAL e NTSC sem a ocorrência de Alasing (ver). Quantidade de informações que um sistema tem capacidade de transportar, através de uma escala de frequências. Em sistemas analógicos é a diferença entre as frequências máxima e mínima que podem ser transportadas. Exemplo: canais de voz que transportam sinais de 300 a 3000 Hz tem largura de banda de 2700 Hz. Em sistemas digitais é a frequência máxima de operação. Exemplo: Sistemas STM-16 tem largura de banda de 2,5 Gbit por segundo.
Baseband Banda Básica Faixa de freqüências englobando o conjunto de sinais usados para modular uma onda portadora, antes destes se combinarem no processo de modulação desta onda. Na técnica de CFTV analógica a maioria dos sinais encontram-se na Banda Básica.
Baud   Velocidade de transmissão de um dado, equivalente a 1 bit/seg. A equivalência entre bauds e bits/seg. somente existe quando cada evento do sinal tiver exatamente 1 bit. De forma típica, os ajustes em bauds em dois dispositivos de comunicação deverão ser idênticos, para permitir a transmissão de um para outro.
B-Band Banda B Faixa de frequências destinadas à exploração de serviços de telefonia celular, por empresas privadas, concorrendo com a banda A.
BER- Bit Error Rate   Taxa de Erro em Bits- A relação entre o número de bits recebidos com erro e o número total de bits recebidos. É utilizado para medir a distorção causada pelo ruído na transmissão digital. Geralmente essa grandeza é expressa como uma potência de 10. Por exemplo, para o erro de 1 bit entre 1 milhão transmitidos, o valor BER será 10-6.
Betamax   Antigo formato de sistema para gravação de vídeo em uso doméstico, criado pela Sony, sendo um concorrente do formato VHS.
Bias   Sinal de corrente ou tensão aplicado a um circuito, para estabelecer o nível de referência de operação mais adequado à performance desse circuito. Exemplos: sinal (bias) de alta freqüência aplicado à cabeça gravadora de equipamento de áudio, para melhorar a linearidade e minimizar a distorção.
Binary Binário Sistema numérico de base 2, no qual se utilizam os dois algarismos ‘0’e ‘1’ (em contrapartida aos dez dígitos de ‘0’ a ‘9’ do sistema decimal) na formação dos números. Nos sistemas de computação, os dígitos do sistema binário são convertidos em duas voltagens (ou correntes) diferentes, uma delas correspondendo ao ‘0’ e a outra, ao ‘1’. Todos os programas de computação são executados no formato binário.
Bipolar   Sinal em que a amplitude varia tanto no sentido positivo como no negativo, podendo também apresentar a condição de amplitude zero.
B-ISDN- Broadband Integrated Services Digital Network:   Sistema aperfeiçoado do padrão ISDN, consistindo da combinação de vários canais ISDN em um só, o que permite transmitir maior quantidade de dados na mesma unidade de tempo.
Bit   Contração das palavras ‘binary’ + ‘digit’. Dado elementar para a informação digitalizada, somente podendo assumir os valores ‘0’ ou ‘1’. A menor parte de um dado (informação) no sistema de notação binário. Um ‘bit’ será sempre um único ‘1’ ou um ‘0’. Um grupo de bits, como por exemplo, 8 ou 16 bits, constituem um ‘byte’. O número de bits em um byte depende no sistema de processamento em uso. Os tamanhos típicos de bytes são de 8, 16 e 32 bits.
Bit Rate Taxa de Bits Quantidade de bits transmitidos em uma unidade de tempo, por um equipamento ou através de uma rede- geralmente em Kbits ou Mbits. Equivalente digital de largura de banda, sendo medido em Bps- Bits por segundo. Quanto mais alta for a ‘velocidade de transmissão de bits, tanto maior será a quantidade de informação transmitida.
Bitmap- BMP   Descrição de uma imagem, feita pixel por pixel (pixel picture element). Cada pixel (ver) constitui um elemento em separado. É também um formato de arquivo de computador.
Black Level Nível de Prêto Parte do sinal de vídeo, próxima ao nível de sincronismo, mas ligeiramente acima deste (geralmente entre 20 mV e 50 mV) para ser diferenciado do nível de inibição. Eletronicamente, este nível representa a parte em negro de uma imagem, enquanto que a parte em branco é equivalente a 0,7 V, a partir do nível de sincronismo.
Blackburst- Color Black   Sinal de vídeo, do tipo ‘composite’. O sinal apresenta sincronismo ‘composite’, com disparo da referência e um sinal de vídeo em preto, geralmente no nível de 7,5 I.R.E. (50 mV) acima do nível de inibição.
Blanking Level Nível de Inibição O início da informação do sinal de vídeo, na forma de onda deste sinal. Ele fica posicionado num ponto de referência, considerado como ‘0 Volts’, e que estão 300 mV acima da parte inferior dos pulsos de sincronismo. Também denominado ‘pedestal’ é o sinal de vídeo que faz a separação entre a ‘faixa que contém dados sobre a imagem’ daquela que contém os dados de sincronismo.
Blanking Period   Período de branqueamento- intervalo de tempo entre a varredura de um sinal de vídeo composto, no nível preto (0.3V) ou abaixo, em que o retraço na tela ocorre.
BLC- Back Light Compensation Compensação da Luz de Fundo Circuito eletrônico existente em câmeras que compensa grandes diferenças de luz de distintos ambientes filmados- geralmente focalizando janelas para fora- com forte luz do dia- permitindo a adequada visualização de imagens, que normalmente seriam vistas como silhuetas.
Blooming Inflorescência Falta de focalização em algumas partes de uma imagem, nas quais o brilho é excessivo.
Bluetooth   Padrão aberto para a transmissão wireless (ver)- sem fio- de voz e dados, entre dispositivos móveis (computadores, telefones, impressoras, etc.).
BNC   Conector Neil-Concelman, tipo baioneta, é o tipo mais usado de conector em CFTV e em sistemas de TV, para a transmissão do sinal de vídeo com largura de banda básica e através de cabo coaxial.
Bonjour Configruração Zero de Rede Facilidade para a detecção automática de computadores, dispositivos e serviços em redes IP, sem a necessidade de inserir endereços IP ou configurar servidores DNS, tendo sido desenvolvida pela Apple Computer Inc.
BOOTP- Bootstrap Protocol   Protocolo que configura automaticamente dispositivos de rede (definindo um endereço IP), sendo a base de avançados protocolos de controle de rede- tais como o DHCP- Dynamic Host Configuration Protocol (ver).
B-Picture   Imagem preditiva com codificação bidirecional. É um termo de MPEG para designar uma imagem que é codificada utilizando a predição por compensação de movimento, a partir de uma imagem de referência passada ou futura.
BPS- Bits per Second   Bits por segundo fluindo num determinado ponto da rede.
Braid Trança Filamentos de metal ou material têxtil, trançados de forma a constituir uma estrutura tubular, que poderá ser aplicada sobre um ou mais condutores, formando uma blindagem, ou então achatada para formar uma tira.
Bridging   Conexão de mais de um circuito elétrico em paralelo, tecnologia utilizada na transmissão de pacotes de dados via rede.
Brightness Brilho Nos sistemas PAL e NSTC, o valor referente ao ‘brilho’ numa imagem, em qualquer instante, é dado pelo nível instantâneo de CC do sinal ativo de vídeo.
Broadband Banda Larga Transmissão de dados através de portadora de alta frequencia. Acesso a Internet em alta velocidade. Embora bandas de 64 Kbits a 1,0 Mbits/segundo tem sido propagandeadas como “banda larga”, na Europa a OCDE- Organisation for Economic Co-Operation and Development- determina taxas de transferência iguais ou superiores a 256 Kbits/segundo. Já nos Estados Unidos a FCC- Federal Communications Commission- exige taxas de transferência acima de 768 Kbits/segundo.
Burn Imagem Queimada Imagem indelevelmente marcada (Burn) em um sensor de imagem de uma câmara ou monitor de tubo de raios catódicos, por excessiva exposição a ela ou dela.
Burst- Color Burst   Grupo composto por sete a nove ciclos (sistema NSTC) ou 10 ciclos (sistema PAL) de uma onda sub-portadora, disparados próximo ao final da inibição do sinal, que servem como referência de fase (cor), para a onda sub-portadora respectiva (i.e., sub-portadora de cor).
Bus Barramento Conexão entre dispositivos. Um barramento de computador conecta a CPU à sua memória principal e aos bancos de memória que residem nas unidades de controle dos dispositivos periféricos. É composto por duas partes. Os endereços constam no barramento de endereçamento, indicando uma posição de memória e os dados são transferidos pelo barramento de dados para àquela posição. Os barramentos de computadores comumente usados são ISA, EISA, NuBus, Micro Channel, Turbochannel, VMEbus, MULTIBUS, barramento STD e barramento PCI. Barramento de rede é um cabo em comum que conecta todos os dispositivos da rede. Por exemplo, a Ethernet usa uma arquitetura em barramento. Um sinal é enviado a todos os nós ao mesmo tempo e a estação solicitada responde.
Bus Network Topologia de Rede Topologia de rede onde os circuitos estão conectados a um único condutor eletrico, denominado busbar, que pode conectar diferentes equipamentos de um sistema e, contrariamente a conexão ponto-a-ponto, utiliza um mesmo conjunto de cabEs para tal fim. São literalmente multiplas conexões paralelas lógicas. Centraliza todas as conexoes dos dispositivos de uma rede em um unico ponto. Esse ponto poderá ser um hub ou switch de rede por exemplo. No caso de CFTV, todos os cabos das cameras são centralizodas em um hub/switch e, junto com ele, também um ou varios equipamentos dedicados ao monitoramento.
Bus Network Topology Topologia de Rede de Barramento Arquitetura de rede obsoleta, em que todos os computadores são ligados em um mesmo barramento físico de dados. Embora os dados não passem por dentro de cada um dos nós, apenas uma máquina pode “escrever” num certo momento, as demais a “escutam” e recolhem para si os dados destinados a elas. Quando um computador estiver transmitindo um sinal toda a rede fica ocupada, e se outro computador tentar enviar algum sinal, ocorrerá uma colisão, obrigando a retransmissão. Essa topologia utiliza cabos coaxiais, existindo um único cabo para cada barramento, seccionado nas interseçoes com os computadores.
Byte   Palavra em formato digital, contendo 8 bits, o nono de paaridade, cada um deles sendo ‘0’ ou ‘1’.

C

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

Cable Equalization Equalização de Cabo Processo que consiste em alterar a resposta de freqüência de um amplificador de vídeo, para compensar as perdas de alta freqüência produzidas no cabo coaxial.
CAD- Computer Aided Design   Software de projeto/desenho técnico mecânico, arquitetônico, civil ou elétro-eletrônico- que permite a produção exata do componente ou produto. Em CFTV permite localizar áreas estratégicas de vigilância, posicionar câmeras, escolher lentes ideais e dimensionar cabeamentos.
Cameo   Multiplexação de sinais de video, representando 1/16 da área de uma tela cheia.
Candela- CD   Unidade de medida da intensidade luminosa. Uma candela equivale, aproximadamente, à quantidade de energia luminosa que é produzida por uma vela comum. A partir de 1948, passou a vigorar uma definição mais precisa, ou seja: ‘candela a intensidade luminosa de um corpo negro aquecido à temperatura [do ponto] de solidificação da platina fundida’.
CATV- Communal Aerial Television   Tv Comunitária Aérea
CATV- Community Antena Television Antêna Coletiva de TV Televisão com Antena Comunitária ou Aberta.
C-Band Banda C Faixa de freqüência de microondas, entre 3,7 e 4,2 GHz. utilizada geralmente nas comunicações via satélite.
CCC- Central Comunity Control CCC- Central de Comutação e Controle Central telefônica que controla as estações rádio-base dos telefones celulares.
CCD Aperture Abertura do CCD Parte da área total de um chip CCD (ver) sensível a luz.
CCD- Charge Coupled Device   Chip de imagem foto-voltaico, constituido por milhares de elementos de captação de luz- denominados pixels- distribuidos em placas de silício. Cada pixel, ativado pelo tipo de luz incidente gera um pequeno sinal elétrico diferenciado. Por serem os pixels ordenados em forma de grade, permitem interpretar sua exata posição vertical e horizontal, possibilitando transferir sinais elétricos representativos para o circuito processador de vídeo da camera. Esta transferência de sinais ocorre sessenta vezes por segundo, através do circuito obturador eletrônico da câmera (não é movimento mecânico do obturador, mas um processamento eletrônico de sinais). Sob condições de baixa luminosidade, o CCD tem a capacidade de processar imagens (ou frames) a 1/60 de segundo. Sob condições ideais de iluminação, opera a velocidade de 1/100000 de segundo, igualmente disponibilizando 60 imagens (ou frames) por segundo, mas obtidas em período de tempo muito mais curto. Adicionalmente, as imagens geradas pelo CCD são otimizadas pelo circuito de processamento de sinais da câmera, buscando maior nitidez.
CCIR 601   Norma internacional (com a denominação atual de ITU 601) para componentes de TV digital que se originou das normas SMPTE RP1 25 e EBU 3246E. Na norma ITU 601 está definida os sistemas de amostragem, valores de matrizes e características de filtros para a televisão digital com os componentes Y, Cr, Cb e RGB. Nela está estabelecido um sistema de amostragem 4:2: 2 em 13,5 MHz para a luminância de canal e de 6,75 MHz para os canais de crominância. , com a digitalização em 8 bits para cada canal. Essas freqüências de amostragem foram escolhidas porque podem funcionar tanto nos sistemas de vídeo com componentes de 525 linhas e 60 Hz, e nos de 625 linhas e 50 Hz. O termo ‘4:2: 2’se referem à relação entre o número de amostras no canal de luminância e aquele do canal de crominância; para cada 4 amostras de luminância, é feita a amostragem em dobro para os canais de crominância. O formato digital da fita de vídeo D1 atende a essa norma.
CCIR 656   Padrão internacional (com o nome de ITU 601) usado para definir as interfaces elétrica e mecânica em equipamentos de televisão digital, operando de acordo com o padrão ITU 601. Na Norma 656 estão definidos os padrões de pinos para conectores seriais ou paralelos, bem como os esquemas de inibição, sincronismo e multiplexação, utilizados tanto nas interfaces paralelas como nas seriais.
CCIR- Comittée Consultatif Internationel des Radiocomuniqués   Comitê Consultivo Internacional de Radiocomunicações: Entidade européia de padronização que estabeleceu as normas para televisão na Europa. Como o sistema era monocromático [branco e preto] originalmente, então o termo CCIR passou a ser utilizado para designar as câmeras monocromáticas [branco e preto], utilizadas em todos os países onde se adota o sistema PAL.
CCTV Camera Câmera de CFTV Unidade contendo um dispositivo de captação de imagens, que gera um sinal de vídeo com a largura de banda básica.
CCTV- Closed Circuit Television CFTV- Circuito Fechado de Televisão Sistema de câmeras e lentes, bem como equipamentos de gravação e monitoramento de uma determinada área. Forma privada para monitorar ambientes, objetivando a segurança físico-patrimonial, ou controle de processos- visando o aumento da produtividade e qualidade.
CD- Compact Disc CD- Disco Compacto Meio de gravação padronizado pelas empresas Philips e Sony, no qual músicas e demais dados são registrados em formato digital.
CDMA- Code Division Multiple Access   Um dos sistemas de digitalização do acesso da telefonia celular, onde vários celulares transmitem ao mesmo tempo e na mesma frequência, com sinais separados por códigos.
CD-ROM Compact Disc-Read Only Memory   Mídia de gravação em CD com capacidade para o registro de dados de 640 MB.
CDS- Correlated Double Sampling Amostragem Dupla com Correlação Técnica utilizada no projeto de algumas câmeras de CCD, que permite reduzir o ruído do sinal de vídeo gerado pelo chip.
CFA – Color Filter Array   Conjunto de filtros ópticos para pixels, utilizados nas câmeras de CCD a cores, com chip único, para gerar a componente de cores de um sinal de vídeo.
CGI – Common Gateway Interface   Interface de comunicação de dados entre servidores web e programas CGI. Exemplificando, uma página HTML (ver) contendo um formulário, pode utilisar um programa CGI para processar dados submetidos.
Chip   Circuito integrado constituído por micro-componentes, montados numa diminuta placa de silício ou material semelhante.
Chroma Burst   Sinal de referência (4.43Mhz), presente no sinal de vídeo após a sincronização do pulso de linha horizontal.
Chroma Crawl   Anomalia no sinal codificado de vídeo, também conhecido como ‘dot crawl’ ou ´cross-luminance, que aparece nas imagens de vídeo, contornando as bordas coloridas e com alta saturação, na forma de seqüências contínuas de pontos móveis. É o resultado da confusão produzida nos circuitos de decodificação, ao identificar a informação sobre cor como sendo informação sobre luminância.
Chroma Gain (or Chroma Color Saturation)   Na técnica de vídeo, ganho de um amplificador referente à intensidade de cor na imagem ativa.
Chroma Key (or Color Key)   Efeito básico na técnica de vídeo, na qual um sinal é inserido em lugar de áreas com determinada cor, em outro sinal de vídeo.
Chrominance Crominância Informação inerente à cor, presente num sinal de vídeo.
Chrominance-to-Luminance Intermodulation (crosstalk, cross-modulation)   Variação espúria na amplitude da luminância causada pela interposição de alguma informação de crominância, nesse sinal de luminância. Aparece na imagem de TV na forma de variações não previstas do brilho, resultantes das variações nos níveis de saturação das cores.
CIE- Comission Internationale de l’Eclairage   Comitê Internacional de Luminotécnica, criado em 1965. Entidade onde são definidas e recomendadas as unidades para uso em luminotécnica.
CIF-Common Intermediate Format   Resolução analógica de vídeo de 352×288 pixels (PAL) (ver) e 352×240 pixels (NTSC) (ver).
Cladding   Parte exterior de cabo de fibra ótica, também constituída por fibra, mas apresentado menor densidade de material que a parte central. Permite o efeito de reflexão total, de tal forma que a toda a luz transportada através do núcleo interno fique retida ali.
Clamping (DC)   Circuito ou processo que restaura a componente de CC de um sinal. Um circuito desse tipo em vídeo (geralmente disparado por pulsos de sincronismo horizontal) permite restabelecer um nível de referência fixo de CC, para o sinal de vídeo. A maior vantagem desse processo consiste na eliminação das interferências em baixa freqüência, especialmente o ruído da linha de alimentação elétrica.
Client/Server Cliente/Servidor Relação entre dois sistemas computadores, em que o sistema-cliente- instalado no computador do usuário- requisita serviços de outro sistema- instalado no servidor, que processa o pedido. Normalmente, múltiplos programas-cliente compartilham serviços de programas comuns instalados no servidor. O web browser é tipicamente um sistema-cliente em que solicitações de envio de páginas da Web ou arquivos, são realizados por sistemas existentes num servidor web.
Clipping Level   Limitação eletrônica utilizada para evitar a super-expansão do vídeo no sinal de televisão.
Clock   Sinal temporizador usado para sincoronizar tarnsmissões de dados.
CMOS- Complementary Metal Oxide Semiconductor   Chip de comutação em estado sólido, utilizado como sensor de imagens em câmeras de CFTV. A CMOS is a widely used type of semiconductor that uses both negative and positive circuits. Since only one of the circuit types is on at any given time, CMOS chips require less power than chips using just one type of transistor. CMOS image sensors also a allow processing circuits to be included on the same chip, an advantage not possible with CCD sensors, which are also much more expensive to produce.
C-Mount Montagem-C Uma das formas padrões de montagem de lentes com rosca em câmeras. A distância da superficie da flange da lente ao ponto focal é de 17,526mm. A montagem C da lente (C-Mount) também pode ser efetuada em câmeras com montagem CS (CS-Mount), utilizando anel adaptador de 5mm, reduzir esta distância para 12,5mm. Porém a montagem CS (CS-Mount) não pode ser utilizada em câmeras com formato C (C-Mount).
CMYK   Sistema de codificação de cores usado para impressoras, no qual as cores são expressas pelas ‘cores subtrativas primárias’ (Cyan roxo, M margenta e Y amarelo), além do preto (denominado ‘K’). A camada de cor preta é incorporada para produzir contraste acentuado e versatilidade, nas impressoras.
Coaxial Cable Cabo Coaxial Cabo bipolar contendo um fio condutor metálico central com malha metálica externa servido de blindagem contra interferências eletromagnéticas, possuindo geralmente a impedância de 75 Ω. É o cabo standard na transmissão de sinais de vídeo analogicos de CFTV .
Coaxitron ®   Protocolo de mesas de controle ou matrix switchers (com Protocolo P da Pelco), de Speed-Domes Pelco-Coaxitron ®. Permite controle de qualquer Coaxitron RS-422 P ou dispositivo D Protocolo. podem ser controlados a partir de uma porta de comunicação RS-422 em um CC1 System 9700 Series. para as entradas BNC. Enviar comandos de controle PTZ em um cabo de vídeo da câmera
CODEC- Code/Decode   Circuito integrado ou chip (ver), convertendo sinais analógicos de vídeo e áudio em formato digital, e vice versa, geralmente processando a conversão analógico-digital e digital-analógica num mesmo chip. Codec também pode significar compressão/descompressão de programas ou arquivos, visando a redução de tamanho, utilizando algorítmos próprios para tal..
Coherent Light Luz Coerente Luz monocromática com ondas de mesmo comprimento, mesmo plano de vibração e mesma fase.
Color Bars Color Bars Padrão de cores apresentado pelo gerador de teste de vídeo, formado por oito barras de mesma largura, com as cores: branco (75%), preto (7,5% do nível de setup); cores puras com saturação de 75%: vermelho, verde e azul, e tonalidades com saturação de 75% de amarelo, roxo e magenta (mistura de duas cores, na proporção de 1: 1, sem uma terceira cor).
Color Carrier Onda Portadora de Cor Sub-freqüência num sinal de vídeo a cores (4,43 MHz, no sistema PAL), modulada com a informação da cor. A freqüência da portadora de cor é escolhida para que seu espectro se combine com o da luminância, com a mínima interferência.
RGB Signals Sinais RGB Sinal de vídeo com a composição das cores Red- Vermelha, Green- Verde e Blue – Azul.
Color Difference Signal Sinal de Diferença de Cores Sinal de vídeo a cores, criado a partir de informações de luminância e /ou cor subtraída do sinal de uma das cores primárias (R vermelho, G verde ou B azul). No formato Betacam, por exemplo, cada diferença entre sinais de luminância (Y) e componentes de cores (R – Y e B – Y) é calculada assim: Y ……….. 0,30 Vermelho + 0,59 Verde + 0,11 Azul R – Y …… 0,70 Vermelho – 0,59 Verde – 0,11 Azul B – Y …… 0,89 Azul – 0,59 Verde – 0,30 Vermelho O sinal-diferença das cores G – V não é criado porque poderá ser recomposto a partir dos outros três sinais. Outras convenções para as diferenças de cores incluem os padrões SMPTE, EBU-N1 0 e MII. Os sinais-diferença de cores não devem ser considerados como componentes do sinal de vídeo. Esse termo é reservado para as componentes das cores RGB (Vermelho, Verde e Azul). No uso geral, o termo ‘componente de vídeo’ é geralmente utilizado para designar os sinais-diferença de cores.
Color Field Campo de Cores No Sistema NSTC, a sub-portadora de cor está em fase com o sincronismo de linha, de forma que a cada linha consecutiva, a fase da sub-portadora é deslocada de 180º em referência aos pulsos de sincronismo. No Sistema PAL, a fase da sub-portadora se desloca de 90º, a cada quadro. No Sistema NTSC, isso produz quatro tipos diferentes de campos, enquanto que no Sistema PAL, são produzidos 8. Para permitir uma edição limpa (de vídeo), o alinhamento das seqüências dos campos de cores originadas de fontes diferentes, é de importância crucial.
Color Frame Tela Colorida Na televisão a cores, uma tela é composta por quatro campos de cores convenientemente seqüenciados (Sistema NTSC) ou oito desses campos, (Sistema PAL).
Color Phase Fase da Cor Relação entre tempos num sinal de vídeo, medida em graus sexagesimais (o), que mantém a correção da tonalidade de um sinal de cor.
Color Sub-Carrier Sub-Portadora de Cor Sinal de 3,85 MHz que transporta a informação sobre cor, sobreposto no nível da luminância. A amplitude da sub-portadora de cor representa a saturação e o ângulo de fase a tonalidade.
Color Temperature Temperatura da Cor Indicação da tonalidade da cor, derivada da técnica fotográfica, na qual o espectro das cores é baseado na comparação entre tonalidades produzidas quando um corpo negro (conceito da Física) é aquecido, variando do amarelo ao azul (cor mais quente). As medidas de temperatura da cor são expressas em o K (graus Kelvin).
Comb Filter Filtro Combinado Filtro formado por circuitos elétricos que permitem a passagem de uma série de freqüências e bloqueia a das freqüências intermediárias, apresentando uma resposta de freqüência com imagem na forma de ‘dentes de um pente’. É utilizado na codificação de vídeo para selecionar o sinal de crominância, e bloquear o de luminância, e reduzir assim os componentes espúrios da crominância cruzada (cross crominance) ou, inversamente, para selecionar o sinal de luminância e bloquear o sinal de crominância, e eliminar os efeitos da luminância cruzada (cross luminance). Foi incorporado ao sistema S-VHS para se atingir uma melhor resolução da luminância.
Comet Tail Rabo de Cometa Situação apresentada por monitores de video ou sensores de imagens, que mostram imagens estáticas combinadas com tais cenas em movimento.
Composite Syncronism Sincronismo Composto Sinal formado por pulsos com sincronismo horizontal, vertical e pulsos de equalização, com um nível de referência ‘0’ (‘no-signal’).
Composite Video Vídeo Composto Sinal de vídeo analógico combinado com de áudio, modulado em portadora de RF, gerando sinal de video de 0,7 volts com 0.3 volts de sincronismo, ou 1,0 volt pico-a-pico. Formato standard em NTSC e PAL, composto por três tipos de sinais Y, U e V (YUV). Y contendo a luminosidade ou brilho da imagem, inclue os pulsos de sincronismo. U e V contendo a matiz e a saturação das cores. Inicialmente são misturadas em uma portadora de sinais de cores, formando a crominância. Então, Y e UV são combinados, sendo Y o sinal basico e UV modulado na portadora, divisão de freqüência equivalemte a multiplexação. O sinal de Video Composto pode ser sintonizado por um canal broadcasting, modulando um apropriado sinal de RF sobre ele.
Concave Lens Lente Côncava Lente com distância focal negativa, i.e., a que tem foco virtual e produz uma imagem menor que o objeto.
Conditional Refreshment   Técnologia utilizada por DVRs- ou sistemas de gravação de vídeo- que ao constituir os primeiros quadros transferem apenas a parte dinâmica da imagem, onde as mudanças verdadeiramente ocorrem, já que a imagem de fundo são estáticas, ficando gravada no DVR atráves de um único quadro, permitindo altas taxas de transferência e compactaçãop, em especial envolvendo câmeras com pouco movimento. Gráu de diferença entre as partes mais claras e mais escuras de uma imagem.
Contrast Contraste Gráu de diferença entre as partes mais claras e mais escuras de uma imagem.
CPU- Central Processing Unit UCP- Unidade Central de Processamento Unidade central de processamento de um computador ou dispositivo digital, composta por um circuito integrado de processamento lógico de dados.
CRO- Cathode Ray Oscilloscope Osciloscópio de Raios Catódicos Osciloscópio de tubo de raios catódicos.
Crossline   Retícula sobre a imagem em um monitor de vídeo.
Crosstalk   Interferência elétrica causada por indução electromagnética ou eletrostática proveniente de condutores próximos ou fonte externa de ruido. Interferencia entre dois ou mais sinais próximos, trafegando em uma banda. Linha cruzada, diafonia.
CRT- Cathode Ray Tube Tubo de Raios Catódicos Componente utilizado para produzir imagens de vídeo em um monitor analógico ou digital.
CS-Mount Montagem CS Forma para fixação de lentes com rosca em câmeras, utilizando lentes menores e mais econômicas do que as com montagem C (C-Mount) (ver), possuindo distância padrão entre a superfície da flange da lente e o ponto focal de 12,5mm. Lentes com montagem CS (CS-Mount) não podem ser usadas em câmeras com montagem C (C-Mount), a não ser com uso de Adaptador de Montagem CS para C (ver).
CS-to-C-Mount Adaptor Adaptador de Montagem CS para C Anel que possibilita a instalação de lente com montagem C (C-Mount) em câmera com montagem CS (CS-Mount), possuinso espessura de 5 mm, com rosca-macho (externa) em um extremo e rosca-fêmea (interna) em outro, com diâmetro de 1″, com rosca de 32 fios/polegada.
CVBS- Composite Video Bar Signal   Sinal de vídeo adotado em transmissão de televisão que inclui informação sobre cor e sincronismo.

D

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

D/A or DA   O inverso de A/D, i.e., conversão digital / analógico.
Day & Night Camera Câmera Day Night Permite a reprodução de imagens em ambientes com adequada ou pouca luz- esta última condição geralmente a noite. A Câmera altera automaticamente o status de captação de imagens, do Modo Colorido para o Modo Branco e Preto, de acordo com as condições de luminosidade existentes, não granulando cenas e reproduzindo-as com melhor qualidade. Explicação: como a noite ou ambientes escuros expõem somente as cores branca e nuances cinzas- a maior acuidade do branco e preto frente ao colorido permite a captação de imagens com melhor qualidade. Com adequada iluminação a Câmera volta automaticamente a ser colorida, permitindo o monitoramento mais consistente em ambas condições.
Dark Current   Sinal emitido por um sensor de CCD, na ausência de luz incidente.
Dark Noise   Ruído gerado como conseqüência da natureza aleatória da Dark Current (ver).
DAT- Digital Audio Tape   Componenete para a gravação e reprodução de sinais de áudio em formato digital, utilizando Fita DAT..
dB- Decibel   Unidade de medida logarítmica da relação entre dois sinais (ou valores), geralmente referentes à potência (elétrica, mecânica), mas também a tensão e corrente. No cálculo de potências, o logaritmo é multiplicado por 10 e, no cálculo de tensão e corrente, é multiplicado por 20.
dBm   Medida de potência em comunicações, denominada Decibel Miliwatt. Zero dBm = 1 miliwatt, com relação logarítmica à medida que os valores aumentam.
DBS- Direct Broadcast Satellite Transmissão Direta por Satélite Transmissão feita por satélite, utilizando no receptor uma antena paarabólica de pequena abertura.
DC- Direct Current CC- Corrente Contínua Corrente que se desloca em um único sentido, ao contrário da corrente alternada que possui polaridades distintas.
DC-Iris   Controle eletrônico, pela câmera, da abertura da entrada de luz pela íris da lente, regulando automaticamente sua quantidade, visando a não saturação da imagem captada.
DCT- Discret Cosine Transform   Algoritmo matemático usado na representação da freqüência de um bloco de pixels de vídeo. DCT é a transformação discreta reversível e ortogonal entre os domínios de tempo e freqüência. Ela poderá ser ‘FDCT’ (Transformada Discreta de Coseno Direta) ou ‘IDCT’ (Transformada Discreta de Coseno Inversa).
DD- Direct Drive   “Lentes Auto-Íris que se ajustam (abrem ou fecham o diafragma) por sinal DC (comando) emitido pela Câmera, em função da maior ou menor intensidade da luz ambiente. “
Decoder Decodificador Dispositivo utilizado para transformar imagens codificadas digitalmente (TCP-IP), em informações analógicas- permitindo que DVRs Analógicos as monitorem.
Degauss (to)   Desmagnetizar.
De-Interlacing   Combinação de varreduras. Ver Interlacing.
Delay Line   Linha de transmissão real ou artificial, ou dispositivo equivalente, projetada para retardar uma forma de onda ou sinal durante um intervalo de tempo determinado.
Demodulator Demodulador Dispositivo de recuperação de sinais originais de uma onda portadora modulada, também utilizado em modems para tornar os sinais de comunicações compatíveis com equipamentos digitais..
Desktop Switcher Distribuidor de Vídeo Dispositivo utilizado para selecionar um determinado número de canais de imagens provenientes de câmeras, para exibição em um ou mais monitores.
DHCP- Dynamic Host Configuration Protocol   “Protocolo que automatiza e centraliza a atribuição do endereço IP (ver) em dispositivos conectados a rede, utilizando o conceito de “”locação”” ou quantidade de tempo que um determinado endereço IP é válido para um determinado computador, com tempo de concessão variável, dependendo do requerimento de um particular sistema ou conexão. Também suporta endereços fixos de IP, por exemplo, de computadores que utilizem servidores da web que exigem IP fixo. “
Dielectric Dielétrico Meio não condutor de eletricidade. Isolante.
Differential Gain Ganho Diferencial Variação na amplitude da sub-portadora de um sinal de vídeo, produzida por oscilações no nível de luminância desse sinal. A imagem de TV resultante apresenta uma mudança de saturação da cor, causada pela variação simultânea no brilho da imagem.
Differential Phase Fase Diferencial Variação de fase na sub-portadora de um sinal de vídeo, produzida por uma mudança no nível de luminância do sinal. As tonalidades de cor em uma cena passam a variar conforme o brilho dessa cena.
Digital   Propriedade de componentes em transmitir sinais óticos ou elétricos ou de equipamentos em processar informações codificadas em bits (zero ou um).
Digital Disc Recorder Disco de Registro Digital Equipamento que permite a gravação de imagens de vídeo em um disco digital.
Digital Signal Sinal Digital Sinal com informação binária, 1 ou 0, permitindo seu processamento por computador. Sinal eletrônico em que valores de excitação produzidas pelo ambiente (imagem, som, luz), apresentam diferentes combinações binárias (palavras), traduzidas em sinal analógico.
DIN- Deutsche Industrie Normen DIN- Norma Industrial Alemã Norma Industrial Alemã, utilizando o padrão milimetro, oficialmente adotadas no Brasil pela engenharia mecânica e indústria, bem como em grande parte do mundo.
Dispersion Shifted in Fiber Opticas Fibra Ótica por Dispersão Deslocada Tipo de fibra monomodo em que as condições de dispersão cromática nula foram deslocadas da janela de 1310 nm para a janela de 1550 nm, onde as perdas de transmissão são menores.
Distortion Distorção Mudança não desejada na forma de onda que ocorre entre dois pontos em um sistema de transmissão.
DMD- Digital Micro-Miror Device   Tecnologia de projeção de vídeo, na qual se utilizam chips montados com espelhos em miniatura, com controle digital de alta precisão para o ângulo de projeção.
DNS- Domain Name System   Aplicativo que localiza e converte nomes de domínio Internet IP (Internet Protocol) em endereços. Um nome de domínio é mneumônico e significativo, portanto fácil de lembrar. Já um código numérico não. Por exemplo, o nome do domínio www.exemplo.com é muito mais fácil de se guardar do que o código 192.0.34.166. Tabelas que correlacionam domínios e endereços IPs existem em servidores de nomes de domínio.
Domaian Server Servidor de Domínio Processador que autentica usuários de uma rede Intra ou Internet, tecnologia igualmente utilizada para gerenciar computadores em uma rede. Cada usuário, em um domínio, possue uma conta que permite efetuar logins e interagir com computadores autorizados de uma rede, podendo ser aplicadas restrições de acesso e processamento.
Dopping Dopagem Introdução de elementos dopantes à sílica (normalmente germânio ou óxido de boro), para mudar O índice de refração.
DOS- Disk Operating System   Sistema operacional da Microsoft, utilizado na operação de softwares e hardwares de computadores, tais como drive de disco rígido, monitor, teclado, etc.
Dot Pitch Espaçamento entre Pontos Distância, em milímetros, entre dois pontos consecutivos da imagem da tela de um monitor. Quanto menor for o ‘dot pitch’, tanto melhor será a imagem, já que assim, haverá maior número de ‘dots’ [pontos] a serem apresentados na imagem e, portanto, uma melhor resolução. A resolução de um monitor é definida a partir do ‘dot pitch’. Os monitores de CFTV de alta resolução, ou um monitor para computadores, têm ‘dot pitch’ inferiores a 0,3 mm.
Drop Frame Time Code   Formato de código de tempos SMTPE, com contagem contínua de 30 quadros por segundo, no qual se tem a eliminação de dois quadros a cada minuto, exceto em cada 10o. minuto (eliminação de 108 quadros por hora), com a finalidade de se manter o sincronismo do código de tempos com o tempo cronológico (i.e., marcado pelo relógio). Isso se torna necessário porque, no sistema de vídeo NTSC é utilizada a velocidade de 29,94 quadros / seg., em vez de um número inteiro de 30 quadros / seg.
Dropout Atenuação de Sinal Atenuação de sinal de transmissão ou leitura em um sistema eletrônico, geralmente causada por ruído (ondas espúrias), mal estado da mídia ou avarias do equipamento. Em sinais analógicos a evasão é freqüentemente progressiva e parcial. Em sinais digitais geralmente a perda é mais acentuada, devido ao efeito da não paridade dos dados.
DSP- Digital Signal Processing Processador de Sinais Digitais Circuito voltado a aplicações digitais, tais como comunicações wireless (ver) e processamentode de imagens. Também utilizados em telefonia celular e televisores digitais.
DTMF- Dual Tone Multifrequency Multi-Frequência por Duplo Tom- Sinalização por tom ao longo de cabos telefônicos, identificando códigos núméricos de chamadas para a central telefônica. Multi-frequência utilizada para a sinalização de sistemas de comunicação. Sinal utilizado por emissoras de televisão a cabo, indicando o início e fim do tempo de inserções de midias comerciais.
Dubbing   Transcrição feita de um meio de gravação para outro.
Duplex   Terminologia utilizada em multiplexação, quando dois sinais distintos são misturados e transmitidos simultaneamente, por exemplo, transmitindo vídeos e sinais de comando das câmeras ao mesmo tempo.
DVD- Disk Vídeo Digital   Disco ótico em formato de mídia, utilizado para armazenar vídeos e dados, tendo a mesma dimensão dos CDs- Compact Discs- mas com capacidade de armazenar superior a seis vezes. Os DVD-ROM- Read Only Memory- armazenam dados que apenas podem ser lidos, mas não gravados. DVD-R, DVD+R e consequentemente o DVD-ROM podem gravar dados apenas uma vez. Os DVD-RW, DVD+RW e DVD-RAM podem gravar e apagar registros múltiplas vezes. A frequência utilizada pelos lasers dos DVD standards é 650 nm. São revestidos de material magnético, sobre o qual se armazena dados através da magnetização seletiva de partes de sua superfície, podendo ser flexíveis (floppy), rígidos, compactos, de material plástico (CDs) ou Digital Versatile Discs.
D-VHS   Padrão proposto pela JVC para a gravação de sinais digitais em gravadores de vídeo VHS. Dynamic range. Diferença entre os valores máximo e mínimo de qualquer variável, convertida por um sistema.
DV-Mini- Mini Digital Vídeo   Formato utilizado em gravações de áudio ou vídeo em mini-gravadores [camcorders] e adotado pela maioria dos fabricantes desses equipamentos. Tanto o sinal de vídeo como o de áudio, são gravados em formato digital num mini-cassete, com dimensões de 66 x 48 x 12 mm, com qualidade superior à das gravações em S-VHS e Hi 8.
DVR- Digital Vídeo Recorder   Sistema digital de monitoramento de imagens, composto por computador geralmente com sistema operacional proprietário, placa de captura de imagens e software de gerenciamento, monitora, grava em HD e transmite imagens digitais pela Internet/Intranet.
DVR Stand Alone   Sistema digital independente de monitoramento de imagens, composto por processador suportado por sistema operacional open-source- de código aberto- e sistema de gerenciamento proprietário, monitora, grava em HD e transmite imagens digitais pela Internet/Intranet, dispensando o uso de computador e de placa de captura de imagens.
DVST- Digital Video Storage & Transmission   Forma de compreensão de imagens de vídeo para transmissão através de rede de comunicação ou para armazenamento digital, transmite imagens totais, não pacotes.
Dwell Time   Duração de um sinal de video proveniente de uma câmera, antes de ser selecionada outra.

E

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

EHF- Extremely High Frequency   Microondas da faixa de 30 GHz a 300 GHz.
EIA- Electronics Industry Association   Entidade americana que definiu o padrão de televisão utilizado nos EUA, Canadá e Japão, baseado no scanning entrelaçado com 252 linhas. Inicialmente conhecida como RMA ou RETMA.
Electro Magnetic Interference­ EMI Interferência Eletro-Magnética Energia elétrica ou eletromagnetica que pode causar inadequada resposta, degradação ou queima de equipamentos eletrônicos.
Eletro Magnetic Radiation Radiação Eletromagnética Emissão ou propagação de energia sob forma de onda eletromagnética.
Encoder Codificador Equipamento utilizado para transformar informações provenientes de Câmeras Analógicas, em códigos de dados TCP-IP. Dispositivo utilizado para superpor informação de um sinal eletrônico em outro.
Encryption Encriptação Redisposição de uma cadeia de bits de um sinal já codificado digitalmente, num padrão sistemático, destinado a tornar a informação irreconhecível até ser restaurada ou passar através de uma chave de decodificação, devidamente autorizada. É uma técnica utilizada para proteger a informação transmitida através de um canal de comunicação, com a finalidade de evitar que usuários não-autorizados possam interpretar essas mensagens. Poderá ser utilizado na transmissão de voz, vídeo os outros sinais de comunicação.
ENG Câmera- Electronic News Gathering Camera   Referência às câmeras CCD na indústria de radio-transmissão (emissoras de rádio e TV).
EPROM- Ereasable and Programmable Read Only Memory   Chip eletrônico utilizado em inúmeros produtos da indústria de equipamentos de segurança, no qual se estocam instruções de software para executar diversas operações.
Equalizer Equalizador Equipamento projetado para compensar as perdas e os efeitos da perda de sincronismo (defasagem de freqüência) num sistema. Componente ou circuito que permite o ajuste de um sinal, numa certa banda.
Error Rate Taxa de Erros Proporção de dados recebidos incorretamente (bits, elementos, caracteres ou blocos), em relação ao total de dados transmitidos.
Ethernet   Rede de comunicação local, utilizada para conexão de equipamentos digitais tais como computadores, processadores, impressoras, terminais, etc. no mesmo edifício. Conecta até 1,024 nós em topologia de barramento a 100Mb/s, através de cabeamento via par trançado, coaxial ou fibra ótica. Versões mais velozes, Fast Ethernet, operam a 100MHz/s. A Ethernet é a rede local mais amplamente utilizada, sendo a mais as mais comuns a 10BASE-T- com velocidade de até 10 Mbps.e 100BASE-T10, com velocidade superior.
ETRAX- Ethernet Token Ring AXIS   Chip ETRAX- pedra angular da Tecnologia Axis, sendo o “célebro” de praticamente todos seus produtos. É um Chip Linux polivalente, integrado a Rede Ethernet, extremamente flexível em termos de opções de I/O.
External Sinchronization Sincronização Externa Método usado para assegurar o sincronismo de todos os equipamentos a uma fonte.

F

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

Factory Defaul Settings Configuração de Fábrica Configurações Originais de Fábrica aplicadas a um dispositivo. Se for necessário um reset (ver) no dispositivo, as predefinições da fábrica serão reinstaladas e, para muitos dispositivos, serão reconfiguradas conforme as alterações efetuadas pelo usuário.
FC- Foot Candle   Medida americana de luz. 10fc equivale a 1 lux.
FCC- Federal Communications Commission   Entidade federal americana encarregada da regulamentação da comunicação no País [EUA].
FDM- Frequency Division Multiplexing   Sistema de multiplexação por divisão de freqüencia, que utiliza freqüencia diferente para cada sub-portadora de cada canal, a ser transmitida por um único meio.
FFT- Fast Fourier Transformation   Transformação simplificada das Séries de Fourier.
Fiber Optics Fibra Ótica Tecnologia que permite a transmissão a distância de vídeos, dados e áudio na forma de pulsos luminosos, através de cabo de fibra de vídro ótico, reconhecido por suas propriedades de isolação elétrica e resistência às interferências eletromagnéticas e eletrostáticas- por utilizar meio inerte (vidro). Cabos de Ffibra Òtica Multimodo (ver) permitem transmissões até 4 Km., e Cabos de Fibra Ótica Monomodo (ver) a distâncias basante superiores.
Field Campo Referência a cada uma das partes (metades) da imagem em tela, que é composta por um número par ou ímpar de linhas. No sistema CCIR cada campo é composto por 625: 2 312,5 linhas; no sistema EIA, 525: 2 262,5 linhas. No sistema de TV CCIR/PAL, são apresentados 50 campos por segundo, e 60 campos por segundo, no sistema EIA/NTSC. Portanto metade de um frame ou quadro no sistema CCIR, compreendendo 312,5 linhas.
Film Recorder Filme de Gravação Dispositivo utilizado na conversão de dados no formato digital para um sinal de saída adequado ao formato de filme. Os gravadores contínuos de tonalidades [de cor] produzem fotografias coloridas nas formas de transparências, fotos impressas ou negativos.
Firewall   Barreira entre redes, por exemplo local e Internet, assegurando que vírus ou programas maliciosos não venham a contaminar o computador, e que apenas usuários autorizados possam ter acesso a uma rede. Um Firewall pode ser um software executado num computador, ou um dispositivo de hardware autônomo.
Fixed Focal Length Lens: Lente de Foco Fixo Lente com distância focal fixa, equipada com controle de foco e diversas funções opcionais do íris [diafragma].
Flash Memory: Memória Flash Dispositivo de estocagem não volátil de dados em formato digital. O acesso à memória flash é menos rápido que o acesso às memórias SRAM ou DRAM.
Flicker Tremulação de Imagem Distorção da imagem de TV, envolvendo principalmente a apresentação dos campos de vídeo e o sincronismo vertical. Algumas vezes surge com o ‘interlace’ [entrelaçamento], sendo freqüentes nos sistemas de 50 Hz (PAL). Ela também aparece quando são apresentadas imagens estáticas na tela, tais como os textos de computador transferidos para o vídeo. O processamento mal feito da imagem, que ocorre nos equipamentos de conversão (entre sistemas PAL / NTSC e vice-versa), resulta nessa distorção da imagem apresentada na tela. Há diversos recursos eletrônicos para se eliminar a tremulação da imagem.
Flutter   Oscilações de freqüência na altura do som, causadas na variação da velocidade relativa entre cabeçote e fita, num equipamento que utiliza fita magnética para gravação / reprodução.
FM- Frequency Modulation FM- Freqüência Modulada Variação da freqüência de uma onda senoidal ou portadora, seguindo as variações de amplitude de um sinal de modulação.
F-Number Número F Nas lentes com íris variável (ajustável), a abertura máxima é expressa pela distância focal da lente/abertura máxima. O valor máximo dessa relação se apresenta gravado no anel frontal da lente.
Focal Length Distância Focal Distância em milímetros entre o centro ótico (geométrico) de uma lente e o foco (ponto principal de convergência focal). A distância focal da lente de uma câmera, determina a largura do campo de visão horizontal, que por sua vez é medido em graus.
Focal Point Ponto Focal Ponto de concentraçãp da luz que passa através da Lente.
Focusing Control Controle de Foco Mecanismo utilizado para ajustar imagens produzidas por objetos dispostos em diferentes distâncias em relação a lente.
Foot-Candela   Unidade de luminosidade utilizada principalmente na tecnologia americana de CFTV. Ela corresponde a 9,29 vezes o valor de uma medida de luminosidade expressa em ‘lux’.
Fourier Transformation Transformação de Fourier Transformação de funções matemáticas, do domínio de tempo para o de freqüência.
Frame   Imagem completa de vídeo. No modo 2:1 interlaced scanning dos formatos RS-170 e CCIR, o frame é composto por duas áreas distintas de 262,5 ou 312,5 linhas entrelaçadas em 60 ou 50 Hz, formando um quadro completo, que aparece em 30 ou 25 Hz. Em câmeras de vídeo com varredura progressiva, cada frame é verificado linha por linha e não entrelaçado, sendo exibido em 30 e 25 Hz. Imagens de TV comercial analógica são compostas por 25 frames por segundo e de cinema por 24 quadros por segundo. Abaixo de 7,5 Fps. passam a ocorrer delays ou interrupções, em especial com imagens contendo movimentos.
Frame Rate Taxa de Frames “Valor que determina a freqüência com que o fluxo de vídeo é atualizado, medido em frames por segundo- Fps. Quanto maior a taxa de frames melhor é a imagem produzida, em especial quando há movimento no vídeo. Em CFTV de segurança a quantidade máxima estabelecida é de 30 Fps. A quantidade mínima aceitável é de 7,5 Fps.- abaixo da qual passam a ocorrer delays em imagens com movimento. “
Frame Store Registro de Quadro Dispositivo eletrônico utilizado para converter no formato digital um quadro (ou campo) de TV referente a um sinal de vídeo, e gravá-lo na memória.
Frame Switcher   Denominação utilizada para o se gravar imagens de várias câmeras- com a reprodução de qualquer uma das câmeras em tela cheia, mas sem o recurso de apresentação míltipla (quad, etc).
Frame Synchronizer Sicronismo de Quadro Memória intermediária (buffer) digital usada no ajuste contínuo do sinal, e eliminação de erros de temporização (‘timing’), através da estocagem e comparação dos dados de sincronismo, tendo como referência os sinais de vídeo gerados por uma base de tempo.
Frame Transfer- FT Transferência de Frame Referência a um dos três princípios de operação do chip CCD; os outros dois são Interline Transfer (ver) e Frame Interline Transfer (ver).
Frame-Interline Transfer- FIT   Referência a um dos três princípios de operação do chip CCD; os outros dois são Interline Transfer (ver) e Frame Transfer (ver).
Frequency Freqüência Número de ciclos completados por uma forma de onda em uma unidade de tempo, geralmente expressa em Hertz (1 Hertz 1 ciclo / segundo).
Front Porch   Parte do sinal de vídeo composto localizado entre o início da varredura horizontal e o início do correspondente pulso de sincronimo.
FTP- File Transfer Protocol   Algorítmo que utiliza protocolos TCP/IP para troca de arquivos entre computadores ou dispositivos em redes.
Full Duplex   Transmissão de dados em duas direções simultaneamente. Em um sistema de audio isto pode ser exemplificado como um telefone- que hove e fala simultaneamente. Ver também Simplex e Half-Duplex.
Full Picture Update   Transmissor de vídeo que envia imagem completa, a cada atualização (update).

G

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

Gain Ganho Fator de variação (amplificação ou perda) da intensidade de um de um sinal analógico, geralmente expresso em decibeis (dB).
Galvanometria   Método de conversão das correntes eletricas de minuteria, produzidas pelos circuitos que aciomam diafragmas de auto-íris.
Gamma Gama Correção introduzida na resposta linear de uma câmera com a finalidade de compensar a resposta não linear do monitor com tela de fósforo. É medida através de uma curva exponencial que expressa essa não-linearidade. O fator de correção gama para um monitor monocromático é de 2, 2, e a câmera deverá, portanto ser ajustada com o valor do inverso de 2, 2, (ou seja: 1 / 2,2 0,45), para que o sistema todo possa responder linearmente.
Gamut:   A faixa de tensões elétricas admitidas para um sinal de vídeo, ou para uma componente desse sinal. As voltagens de sinais fora dessa faixa (ou seja, além do ‘gamut’) podem ocasionar o clipping [corte dos picos na forma de onda] crosstalk [cruzamento de linhas] e outras distorções.
Gateway   Ponto em uma rede que atua como conexão para outra rede. Em uma rede corporativa, por exemplo, um computador servidor atuando como gateway muitas vezes age como servidor proxy e servidor firewall.
GB- Gigabyte   Unidade de memória de computadores, contendo cerca de um bilhão de bytes (mil megabytes). O valor exato é de 1.073.741.824 bytes.
Gen-Lock Gerador de Sincronísmo Gerador externo de pulsos de sinais de sincronismo, equalizando câmeras de um sistema analógico, proporcionando a correta recepção de imagens, evitando que rolem vertical ou horizontalmente, sofram mudanças na cor ou não sejam geradas.
GHz- GigaHertz   Ordem de grandesa 10 9, que equivale a 1 bilhão de ciclos por segundo.
GIF- Graphics Interchange Format   Um dos formatos mais comuns utilizados para gerar imagens em páginas web. Existem duas versões do formato: GIF87a e GIF89a. A versão GIB 89a suporta animações, ou seja, pequena sequência de imagens em um único arquivo. A GIF89a também pode ser especificado para apresentações entrelaçadas…
Giga- G   Ordem de grandesa 10 9, que equivale a 1 bilhão.
GIP   Quadro de imagem em um fluxo MPEG-4 de vídeo. Existem vários tipos de VOP. Um I-VOP é quadro da imagem completa. Um código P-VOP codifica as diferenças entre as imagens, enquanto ele é mais eficiente para fazer isso. Caso contrário, códigos de toda a imagem, que também pode ser uma imagem completamente nova.
GLT- Ground Loop Transformer   Iisolação do componente transformador, sem contato direto do sinal elétrico de entrada com o de saída.
GND- Ground Terra Aterramento (terra) elétrico.
GOV- Group of VOPs   Unidade básica de um fluxo do algorítmo MPEG-4 de video. O GOV contém diferentes tipos e números de VOP’s (I-VOP’s, P-VOP’s, etc), como determinado pelo comprimento GOV e estrutura GOV. Veja também VOP.
GOV Length   O comprimento GOV determina o número de imagens (VOP) em estrutura GOV. Ver também GOV e VOP.
GOV Structure   Descreve a composição de um fluxo MPEG-4 de vídeo quanto ao tipo de imagens (I-VOP ou P-VOP’s) e sua ordem interna. Ver também GOV e VOP.
Gray Scale Escala de cinza Série de tonalidades variando desde o preto básico até o branco básico, normalmente expressa em frações de 10.
Ground Loop Loop de Terra Interferência espúria surgida nas transmissões através de condutores blindados de cobre, produzida pelas correntes de terra, quando o sistema opera com mais de um tipo de aterramento. Por exemplo, em CFTV, quando se tem valores diferentes para a resistência de terra na câmera e no DVR. O ruído elétrico induzido gerado pelos equipamentos elétricos instalados (inclusive a rede de alimentação) não é descarregado uniformemente entre os dois sistemas de aterramento (já que são diferentes), e esse ruído induzido aparecerá nos monitores, na forma de interferência.
GUI- Graphical User Interface   Interface Gráfica para o usuário.

H

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

H.264   Padrão de compressão de vídeo baseado no MPEG-4 (ver)- Part 10- ou AVC- Advanced Video Coding (ver). Objetiva boa qualidade de vídeo com baixa taxa de itrate (ver), compatível com vídeos de baixa e alta resolução. Tem sete perfis: (1) Baseline Profile (BP): para sistemas com poucos recursos, utilizada em vídeo-conferências ou aplicações móveis, por sua baixa taxa de bitrate; (2) Main Profile (MP), inicialmente desenvolvido para broadcast e armazenamento, foi aos poucos substituído pelo perfil High Profile; (3) Extended Profile (XP), para streaming media, com alta taxa de compressão; (4) High Profile (HiP), tal como o MP, foi criado para broadcast e armazenamento de alta definição, adotado em discos HD DVD e Blu-Ray; (5) High 10 Profile (Hi10P), muito além das necessidades dos consumidores atuais, basea-se no HiP, adicionando 10 bits por frame para melhor precisão na decodificação da imagem;(6) High 4:2:2 Profile (Hi422P), para vídeos entrelaçados, tendo por base o Hi10P com suporte ao formato 4:2:2; (7) High 4:4:4 Predictive Profile (Hi444PP), baseado no Hi422P, mas utilizando o formato 4:4:4, tendo maior número de bits para precisão na decodificação de imagem (14 bits), realizando o processo de compressão em três cores distintas.
HAD- Hole Accumulated Diode   Tipo de sensor CCD, em que uma camada é projetada para acumular orifícios (no sentido eletrônico), e assim reduzir o nível de ruído.
Half-Duplex   Transmissão de dados em duas direções, mas apenas numa direção por vez. Em um sistema de audio isto pode ser exemplificado como um sistema de walkitalkie- em que apemas um equipamento fala por vez. Ver também Simplex e Full-Duplex.
Hard Wired   Conexão direta entre dois circuitos, integrando-os.
HDD- Hard Disk Drive HD- Hard Disk Meio magnético usado para armazenar a informação em formato digital na maioria dos computadores e em equipamentos eletrônicos de processamento de dados em formato digital.
HDDTV- High Definition Digital Television Televisão Digital de Alta Definição Padrão de transmissão de televisão com resolução extremamente alta, e relação entre eixos “aspect ratio” (ver) de 16: 9. A resolução da imagem é de cerca de 2000 x 1000 pixels, e nela se utiliza o padrão MPEG-2.
HDTV- High Definition Televison Televisão de Alta Definição Referência à versão analógica da HDDTV- High Definition Digital Television (ver). As organizações SMPTE, nos Estados Unidos, e ETA, no Japão, propuseram para padronização desse sistema 1125 linhas no campo de 60 Hz, relação entre eixos de 2: 1; Aspect Rate (ver) de 2:1 30 MHz RGB e largura de banda da luminância.
Headend   Conjunto de equipamentos eletrônicos localizado na parte inicial de um sistema de televisão a cabo, geralmente compreendendo, antenas, estações em terra, pré-amplificadores, conversores de freqüência, demoduladores, e demais equipamentos relacionados.
Helical Scan   Método usado para a gravação do sinal de vídeo em fita magnética, mais comumente nos gravadores de Vídeo (VCR), presentemente em desuso.
Herringbone   Imagem, em formato de malha trançada (espinha de peixe), apresentada em um monitor monocromático, quando se aplica um sinal de vídeo composto, com modulação em cores (PAL ou NTSC).
Herz- HZ Ciclos Unidade de medida de frequência. 1 Hertz (1 Hz) é igual a 1 ciclo por segundo.
Hibrid Network Topology Topologia Híbrida de Rede Arquitetura largamente utilizada em grandes redes, levando-se em conta as vantagens e desvantagens das diversas topologias, compensando com menores custos, permitindo expansões com flexibilidade (utilização de equipamentos disponíveis), e adequada funcionalidade.
HiperLAN/2   Padrão de alta velocidade LAN, sem fio, que suporta taxas de dados até 54 Mbit/s. Sistema similar ao 802.11a, utilizando a mesma banda de 5 GHz.
Horizontal Drive (also Horizontal Sync)   Sinal obtido pela divisão da onda portadora por 227,5, fazendo-se em seguida a conformação do pulso. Esse sinal é utilizado em monitores e câmeras para determinar o início (instante inicial) de cada linha horizontal.
Horizontal Resolution Resolução Horizontal Expressão da resolução da crominância e da luminância no deslocamento horizontal, ao longo do tubo de rádios catódicos. Geralmente, é expresso pelos números das transições de branco para preto, ou linhas, que podem ser identificadas. (ou: diferenciadas…). É limitado pelo valor da largura de banda dp soma; de vídeo ou do equipamento.
Horizontal Retrace   Curto período surgido quando o feixe de scanning retorna ao outro lado da tela para iniciar uma nova linha, e que ocorre no final de cada linha horizontal de vídeo.
Horizontal Sync Pulse: Puso de Sincronismo Horizontal Pulso de sincronismo no final de cada linha de vídeo, que determina o início do ‘horizontal retrace’.
Housing Environmental Caixa de Proteção Termo aplicado em CFTV aos conjuntos de acondicionamento (caixa, suporte, etc.) de câmeras e lentes, fixas ou móveis.
HS- Horizontal Syncronism Sincronismo Horizontal. Sincronismo horizontal.
HTML- Hypertext Markup Language   Conjunto de símbolos ou códigos representando a página de palavras ou imagens, objetivando sua exibição no navegador web.
HTTP- Hypertext Transfer Protocol   Regras para troca de arquivos (texto, imagens gráficas, som, vídeo e outros arquivos multimídia) na web. O protocolo HTTP é executado no topo do conjunto de protocolos TCP/IP.
HTTPS- Hypertext Transfer Protocol over SSL   Protocolo usado pelos navegadores web e servidores web para criptografar e descriptografar requisitos de páginas do usuário e páginas retornadas do servidor. A troca de informações criptografadas é regida pelo uso de um certificado HTTPS (emitido por um Autoridade de Certificação HTTPS- que garante a autenticidade do servidor.
Hub   Equipamento utilizado para conectar vários dispositivos à rede. O hub transmite dados para todos os dispositivos conectados a ele, enquanto que um switch só vai transmitir dados para o dispositivo especificamente configurado.
Hue- Tint, Phase, Chroma Phase   Uma das características que permitem diferenciar uma cor de outra. A tonalidade define a cor a partir de sua localização no espectro, ou seja, o vermelho, azul, verde ou amarelo, etc. A tonalidade é também uma das características da imagem da Televisão a cores: ver também ‘Saturação’ e ‘Luminância’. Nos sinais de vídeo PAL e NTSC, a informação sobre tonalidade em um ponto determinado da imagem, é transmitida pelo ângulo de fase instantâneo, da onda sub-portadora ativa do sinal de vídeo.
Hum   Termo utilizado para designar a entrada indesejada de um sinal na freqüência da rede.
Hyper HAD   Versão avançada da tecnologia CCD HAD, onde se utilizam micro-lentes montadas em chips, para aumentar a sensibilidade sem aumentar o número de pixels.
   

I

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

I/O- Input/Output E/S: Entrada/Saída Entrada/Saída de sinal.
I/P   Input- Entrada de sinal.
I2 R   Expressão da potência em Watts (W), onde I é a corrente em amperes (A) e R, a resistência em Ohms.
IDE- Interface Device Electronics   Padrão de comunicação para hardware e software para a interconexão de dispositivos periféricos em um computador.
Ident   Legenda ou número exibido por uma Câmera de vídeo, visandio uma determinada identificação.
IEC or CEI   Comissão Internacional de Eletrotécnica.
IEEE 802.11   Família de padrões para a LAN Wireless. A standard 802.11 suporta 1 ou 2 Mbit/s de transmissão na banda de 2,4 GHz. A IEEE 802.11b suporta taxas de dados até 11 Mbit/s na banda de 2,4 GHz, enquanto que a 802.11g permite a transferência de até 54 Mbit/s na banda de 5 GHz.
ILD Diodo Laser de Injeção Fonte de luz coerente, gerada por um semicondutor laser, que gera luz coerente atrravez da junção P-N, com energia necessária para alcançar e manter a inversãofornecida por injeção de corrente.
Imaging Device   Válvula eletrônica ou dispositivo de estado sólido, no qual a placa foto-sensível da válvula ou a malha foto-sensível do dispositivo de estado sólido produzem um sinal eletrônico a partir do qual poderá ser criada uma imagem.
Impedance Impedância Propriedade comum a todos os condutores elétricos (metálicos ou não) referente à oposição total à passagem da corrente elétrica em um circuito elétrico. A resistência, a indutância, a capacitância e a condutância têm influências variadas sobre a impedância, dependendo da freqüência, material dielétrico envolvendo os condutores, as reações físicas entre os condutores e fatores externos. A impedância é normalmente representada pela letra ‘Z’, sendo também medida em Ohms (símbolo Ω, da letra grega Ômega).
Incoder Codificador Dispositivo utilizado para transformar imagens analógicas em dados digitais- TCP-IP, permitindo que computadores os processem. Ver Wevb-Video Server.
Infra-Red Infravermelho Radiação ótica com comprimentos de onda maior do que a radiação visível, aproximadamente entre 800 nm e 1 mm, o que significa que não pode ser vista a olho nu humano. Como a radiação infravermelha pode ser detectada na forma de calor, pode ser capturada por uma câmera dugital e mostrada em tela, com objetos mais quentes mostrando-se mais brilhantes frente a ambientes mais frios (por exemplo, um corpo humano contra um fundo infinito).
Infra-Red Lighting Luz Infra-Vermelha Iluminação em frequências acima das ondas visíveis pelos seres humanos, utilizada de forma discreta para sencibilizar câmeras infra-vermelho- funcionando melhor no escuro absoluto.
Input Entrada Entrada de sinal
Inserter- also Alphanumeric Vídeo Generator Gerador de Caracteres Alfanuméricos para Vídeo Dispositivo utilizado para incluir informações complementares, em forma de texto, geralmente junto à imagem sendo apresentada. Pode variar de um ou dois caracteres até um texto que ocupe toda a tela. Em geral, esses geradores utilizam o pulso sincronizado do sinal de entrada de vídeo como ponto de referência para a inserção do texto, o que significa que, se o sinal de vídeo for de baixa qualidade, o mesmo ocorrerá com o texto.
Interference Interferência Perturbações de origem eletromagnética que acarreta respostas não-desejadas em outros equipamentos eletrônicos.
Interlace 2:1   “Combinação de duas varreduras, uma delas atuando nas linhas pares e outra nas ímpares, evitando-se através desta opção a cintilação da imagem, graças a remanecência do ecrã. “
Interlace Scanning   Técnica usada para combinar dois campos de televisão com a finalidade de se obter o quadro completo. Esses dois campos são formados somente por linhas pares ou somente por linhas ímpares, as quais são apresentadas em seqüência, mas de tal forma que todas as linhas se entrelaçam entre si (daí o nome ‘interlace’). Essa forma de criar a imagem foi proposta no início da era da televisão e, embora contendo o mínimo de informação, apresenta a imagem em movimento sem quaisquer tremulações.
Interlacing Video Video Entrelaçado Vídeo capturado em 50 fotos (ou campos) por segundo, e a cada 2 campos consecutivos (meia altura), combinados em um frame. A tecnologia do entrelaçamento foi desenvolvida há muito para a TV analógica, sendo ainda amplamente utilizada.
Interleaving   Gravação de imagens provenientes de câmara acionada por alarme ou detecção de movimento, interna ou externa (via DVR). A gravação cessa após o alarme ser desligado ou instantes depois do movimento parar.
Interline Transfer Transferência Interlinhas Referência a um dos três princípios de operação do chip CCD; os outros dois são Frame Interline Transfer (ver) e Frame Transfer (ver). Imagens provenientes da lente da câmera ativam fotodíodos ou pixels ordenados em forma de grade na placa de silício do sensor de imagem (CCD), sendo transferidas para o circuito processador de vídeo da camera de forma sequênciada. A Transferência Interlinhas permite utilizar diferentes tamanhos de CCD(s), altas taxas de transferência de sinais, mínima perda de dados e baixo ruído.
Internal Sync Sincronismo Interno Geração de pulsos internos em uma câmera, através de um oscilador de cristal controlado.
IP Address Endereço IP Endereço em uma rede IP utilizado por um computador ou dispositivo conectado, permitindo que todos os equipamentos possam ser encontrados, possibilitando o envio e recebimento de dados de forma bidirecional. Para evitar conflitos, cada endereço IP em uma determinada rede deve ser exclusivo, podendo ser fixo- não se alterando, ou dinâmico, automaticamente atribuido por DHCP (ver).
IP Camera Câmera IP Equipamento ótico-eletrônico digital dedicado ao monitoramento de imagens e sons, que filma e transmite via Protocolo TCP/IP para a Inrranet (rede local) ou Internet. Pode atingir resoluções de até 2592 x 1944, ou 5 Megapixels- de alta qualidade, permitindo recursos como PTZ, fotos instantâneas, tratamento e edição de imagens, reconhecimento de falta de objetos, ampliação da base instalada limitada apenas a capacidade do Servidor e da Rede.
IP Index Índice de Proteção Não necessita de computador dedicado ( local) para o monitoramento, tão somente de conexão com a rede de computadores (geralmente dedicada) ou Internet- sendo os vídeos processados por Software de Monitoramento, Gerenciamento e Gravação de Imagens específico- instalado em um Servidor voltado para este fim.
IP- Internet Protocol Protocolo Internet Remotamente, as imagens são capturadas através de Browsers (navegadores), disponíveis em todos Computadores conectados à Internet, podendo ser gravadas e recuperadas através de software próprio.
IP Rating Classificação IP Uma câmera convencional digital tem uma resolução máxima de 640 x 480 com aproximadamente 300.000 Pixels ou aproximadamente 0,3 Megapixel
IR Light Luz Infra-Vermelha Radiação infravermelha invisível ao olho humano, compreendendo comprimentos de onda acima de 700 nm. Câmeras monocromáticas (B/P) apresentam grande sensibilidade na região do espectro correspondente a esta radiação.
IR Shift   Diferença no foco de visão de uma câmera preto e branco, colorida ou infra-vermelha.
IR Transmission Transmissão IR Transmissão infravermelha de dados, sem fio, de um dispósitivo para outro. A radiação infravermelha (IR) divide-se em três regiões do espectro, com comprimentos de onda expressos em microns ou em nanômetros. A primeira banda IR é a mais próxima ao comprimento de onda visivel, em torno de 0.750 a 1.300 5 (750 a 1300 nm). A banda IR intermediária possui amplitude de 1.300 a 3.000 5 (1300 a 3000 nm). A banda IR longa estende-se de 2.000 a 14.000 5 (3000 nm a 1.4000 x 10 4 nm). A transmissão infravermelha é utilizada em inúmeras aplicações: controle remoto de aparelhos domésticos- TVs, aparelhos de som, etc.; wireless em redes locais; ligações entre computadores; modens sem fio; detecção de intrusos; câmeras de visão noturna; equipamento de diagnóstico médico; sistemas de direção de mísseis; etc.
IRE   Unidade de medida elétrica definida pelo IRE- Institue of Radio Engineers, como sendo 1/140 da área limitada pelo sincronismo e o nível de branco “white level” do pico. 140 IRE corresponde a 1 V pico a pico.
Iris Íris Diafragma existente em lentes com íris, acionado automaticamente por câmeras de CFTV à medida da flutuação da incidência da luz ambiente, aumentando ou diminuindo o orificio de entrada de luz, regulando sua intensidade, objetivando maior linearidade na sencibilização do sensor de imagem ou CCD (ver) da câmera, minimizando-a em fortes incidências (sol do meio diia) e aumentando na redução da iluminação- equalizando a qualidade das imagens. Imita a função da íris do ôlho humano.
ISDN- Integrated Service Digital Network   Protocolo internacional para áudio e comunicação de dados, oferecendo melhores velocidades de transmissão que o antigo protocolo PSTN (Public Switched Telephone Network). Utiliza velocidades de transmissão de 64 KB/seg. (sendo uma rede digital, a largura de banda do sinal não será expressa em kHz, mas sim pela velocidade de transmissão). É muito mais rápida do que a linha telefônica comum, tipo PSTN. Para operar em uma rede no sistema ISDN, é necessária a autorização do provedor de comunicações e geralmente, será necessário utilizar uma serie de unidades de interface, semelhantes aos modens.
ISIT- Intensified Silicon Intensified Target   Pastilhas de silício especializadas, utilizadas em sensores de imagens de muito baixa luminosidade e aparelhos de raios-X.
ISMA- Internet Streaming Media Alliance   Objetiva acelerar a adoção e implementação de padrões de códigos abertos para streaming de conteúdo de mídia, tais como vídeo, áudio e dados, através de protocolos Internet.
ISO- International Standardization Organization   Organização Internacional para Padronização e Normatização Técnica.
ITU- International Telecommunications Union   União Internacional de Telecomunicações.
I-VOP   Quadro de imagem completa em um fluxo MPEG-4 de vídeo, existindo outros tipos de VOP.
   

J

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

JPEG- Joint Photographic Experts Group   Entidade que estabelçeceu o algoritmo de compressão de imagens fixas JPEG, com capacidade de compressão acima de 10:1. Sigla também usada para designar o próprio formato de arquivo, que juntamente com o GIF, é o arquivo de imagens mais utilizado na web. Uma imagem JPEG é um bitmap, e tem a extensão de arquivo ,jpg ou .jpeg. Ao se criar imagens JPEG, é possível configurar o nível de compressão, e quanto menor a compressão (maior qualidade), mais espaço de memória é utilizado, existindo uma relação biunívoca (trade-off) entre qualidade da imagem e tamanho do arquivo.
Jumper   Pequeno lance de cordão ótico, conectorizado nas duas pontas, utilizado para a conexão de equipamentos óticos.

K

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

K Factor   Sistema de classificação dos distúrbios produzidos em vídeo, sendo os valores mais aplicados aos sinais que resultam na degradação mais nítida da imagem.
KB/s Kilobits por segundo Unidade de medida da quantidade de bits transmitidos por segundo, também escrita como kbps.
Kelvin   Uma das escalas básicas para a medição de temperatura, usadas em Física,. A escala é quase idêntica à Escala Celsius, diferenciando-se desta pela indicação da temperatura de 0° K, que corresponde a – 273°C.
Kevlar   Um dos nomes comerciais para Aramida.
Kilo Quilo Ordem de magnitude 10-3 que equivale a 1 mil
Kilobaud   Unidade de medida da velocidade de transmissão de dados, igual a 1.000 Bauds.
Kilobytes/s KBytes por segundo Medida da taxa de bytes. ou seja, a quantidade de bytes que estão passando por um ponto. Também escrita como kbps, ou 1024 Bytes.

L

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

LAG   Retenção que ocorre em vídeo, em rápidos movimentos do objeto ou da câmera, deixando rastros na imagem produzida.
Lambertian Source or Surface   Superfície denominada Radiador de Lambert, se for uma fonte primária de luz, ou Refletor de Lambert, se for uma fonte secundária, quando produzir a difusão total da luz incidente.
LAN- Local Área Network   Rede local de computadores, restrita a uma pequena área geográfica, normalmente um prédio ou predios próximos de uma empresa, comumente operada pelos usuários.
Laser- Light Amplification by Stimulated Emission of Radiance   Amplificação de luz por emissão estimulada de radiação. Fonte de luz coerente, com estreita largura de banda espectral, de baixa divergência, trasmitida em uma única onda concentrada em feixe, utilizada para transmitir dados, áudio, imagens ou luz, através de fibra ótica.
LCD- Liquid Crystal Display   Tela utilizada para a apresentação de textos/gráficos com base em uma tecnologia denominada ‘cristal líquido’, em que a reflexão ou transparência de uma tela variam em função de diminutas correntes elétricas nela aplicadas. As vantagens das telas de LCD são o baixo consumo de energia (podem ser facilmente alimentadas por baterias) e o preço baixo das unidades produzidas em massa. As desvantagens são os pequenos ângulos do campo de visão, resposta muito lenta (lenta demais para ser utilizada em sistemas de vídeo), invisibilidade no escuro, a não ser se houver iluminação de fundo para a tela, e a dificuldade de reproduzir as cores verdadeiras nessas telas.
Leased Line   Ligação telefônica permanente, ponto a ponto.
LED- Light Emitting Diode LED Diodo emissor de luz, dispositivo semicondutor que emite luz incoerente quando recebe baixa voltagem numa direção, formada pela junção P-N. A intensidade de luz é proporcional ao fluxo da corrente elétrica.
Lens Lente Dispositivo ótico utilizado para focalizar determinada cena no dispositivo gerador de imagens de uma câmera de CFTV. Cristal, vidro, acrílico ou material transparente polido, visando o desvio coerente de raios de luz, ampliando ou reduzindo imagens. Sua forma e índice de refração determinam os resultados óticos, que são fortemente influenciados pelo formato, pois na maior parte dos casos o índice de refração é maior do que o ar- ambiente em que a lente geralmente está imersa. Para lentes biconvexas, plano-convexas ou côncava-convexas o comportamento da luz será de convergência, portanto, estas lentes são nomeadas convergentes (ou lentes de bordas finas ou delgadas). Para lentes bicôncavas, plano côncavas ou convexo-côncavas, o comportamento da luz será de divergência, portanto, estas lentes são nomeadas divergentes (ou lentes de bordas grossas ou espessas). Estando a lente imersa em ambiente com índice de refração maior, seu comportamento será o inverso, ou seja, lentes divergentes convergirão raios de luz, e lentes convergentes divergirão raios de luz.
Level Nível Quando se refere a um sinal de vídeo, corresponde ao nível de vídeo em volts. Nos sistemas óticos de CFTV , refere-se ao valor do ajuste feito para o nível da íris automática, para regular a abertura da íris.
Light Luz Radiação ótica visível capaz de sencibilizar visualmente um observador.
Line Locked   Em CFTV, referência feita à alimentação de várias câmeras por uma única fonte AC (tipo 24, 110 ou 240 V), que têm seus campos de freqüências sincronizados com a freqüência da rede AC (50 Hz nos sistemas CCIR e 60 Hz nos sistemas EIA).
Line Powered Linha Energizada. Linha com passagem de energia.
Linux   Sistema operacional de código aberto, da família Unix. Devido sua estabilidade disponibilidade grátis, o Linux é extremamente popular na comunidade “open source” e entre desenvolvedores de aplicativos.
Loose   Tipo de construção de cabos óticos, onde as fibras não estão fisicamente vinculadas ao elemento de tração do cabo. Normalmente as fibras ficam soltas dentro de tubetes plásticos cordados em torno de um elemento central.
Lumen- lm   Intensidade luminosa irradiada por 1 candela sobre sob o ângulo sólido de 1 radiano. Ver Luminância.
Luminance Luminância Medida da luz em Lumens por metro quadrado, igual a um Lux. Sinal de vídeo- eixo Y- de um elemento monocromático. Referência à informação apresentada pelo sinal de vídeo sobre a luminosidade da cena. A intensidade luminosa mensurável de um irradiação luminosa, em fotometria. É diferenciada do brilho, por ser este último não mensurável, sendo somente percebido pelo sentido da visão. A informação da imagem de vídeo colorida tem duas componentes: a luminância (brilho e contraste) e a crominância (tonalidade e saturação). Ver Lumen- Im.
LUT- Look-Up Table   Tabela de referências cruzadas existente na memória de computadores, que transforma a os dados em bruto originados de um scanner (ou de um computador) e introduz a respectiva correção de valores, para compensar deficiências do equipamento ou as diferenças entre os tipos de emissões.
Lux- lx   Unidade fotométrica standard de medida do nível de luz, definida como sendo a iluminação de 1 lumen incidindo sobre uma superficie de 1 metro quadrado. Também conhecida por lumen por m2 ou candela-metro.

M

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

MAC Address- Media Access Control Address   Único identificador associado a um equipamentos de rede, ou especificamente sua interface. Por exemplo, a placa de rede de um computador tem seu próprio endereço MAC.
MAC- Multiplexed Analog Components   Sistema no qual os componentes são multiplexados no tempo em um canal, utilizando técnicas do domínio do tempo, ou seja, os componentes são mantidos separados por serem disparados em tempos diferentes, através do mesmo canal. Há muitos formatos e padrões de MAC.
MAN- Metropolitan Area Network   Rede da abrangência metropolitana, normalmente operada por empresa de serviço público.
Manual Iris Íris Manual Regulagem manual da íris acoplada junto a lente da câmera CFTV, regulando a intensidade de entrada da luz, minimizando-a em fortes incidências e ampliando em ambientes menos iluminados- equalizando a qualidade das imagens. Ver Auto-Íris.
Matrix Matriz Rede lógica configurada em disposição retangular, de interseções de canais de entrada / saída.
Matrix Switcher Comutador Matricial Dispositivo utilizado para a comutação de mais de uma câmera, ou DVR, ou equipamento similar, para mais de um monitor, ou DVR, ou equipamento similar. Permite que qualquer saída (output) possa ser conectada a qualquer entrada (input) de um monitor, por exemplo.
MATV- Master Antenna Television Antena Mestre de TV Antena mestre de televisão
MB- Megabyte   Unidade de memória de computadores, consistindo aproximadamente de um milhão de bytes. O valor real é de 1.048.576 bytes. 1 Kilobyte X 1 Kilobyte 1 Megabyte.
MB/s- Megabits per Second   Um milhão de bytes por segundo. Medida da taxa de bytes fluindo por um determinado ponto, comumente utilizado para medir a velocidade de uma rede. A rede pode ser executada em 10 ou 100 Mbit/s. Ver também Taxa de Bits.
MCL- Maximum Camera Length   Comprimento máximo da câmera.
Mega- M   Ordem de magnitude 10 -6- que equivale a 1 milhão
Megapixel   Designa o valor equivalente a um milhão de pixels, utilizado nas câmeras digitais para determinar seu grau de resolução ou definição de imagem. Uma resolução de 1,3 megapixels significa que existem aproximadamente 1.300.000 pixels na imagem, o que corresponde a multiplicação de sua largura pela altura, ou seja, uma imagem de 1280 pixels de largura por 1024 pixels terá 1.310.720 pixels. Ver Pixel.
Megastream   Rede de comunicação que compreende muitas centenas de canais de comunicação individuais.
MFD- Mode Field Diameter   Modo de diâmetro de campo em fibra ótica.
MHz- Megahertz   Um milhão de Hertz.
Micron- m Micro Unidade de medida que equivale a um milionésimo de metro= 10 -6 metro.
Microwave Microondas Parte do espectro eletromagnético dividido em três grupos: UHF, SHF e EHF, com freqüências variando entre 300 MHz e 3.000 GHz. Sistema de transmissão em que se utilizam links de microondas. Em geral, as freqüências utilizadas na transmissão em microondas variam entre 1 GHz e 12 GHz.
Microwave Transmission Transmissão por Microondas Método de transmissão de sinais vídeo e/ou dados, por microondas, em espaço livre, ponto a ponto.
Milli   Ordem de magnitude 10 -3- equivalente a um milésimo.
MOD- Minimum Object Distance Distância Mínima do Objeto Característica de lente fixa ou de zoom, que define a menor distância entre um objeto e o plano de imagem da lente.As lentes zoom apresentam MOD de aproximadamente 1 metro, enquanto que, para as lentes fixas, têm-se geralmente distâncias menores, dependendo da distância focal respectiva.
Mode Modo Padrão de campo eletromagnético. Caminho percorrido pelos raios luminosos ao longo do cabo de fibra ótica.
Modem Comutador Matricial Equipamento modulador/demodulador, permitindo a conexão de equipamentos digitais a um canal de comunicação, utilizado no envio de sinais digitais através de rede analógica- ou seja, transmissão de vídeo sobre rede PSTN- Public Switched Telephone Network- conjunto global de interconexões comutadas de voz. Equipamento que estabelece a conexão entre computadores ou processadores equipados com modems. Modem é a composição de duas palavras: Modulador e Demodulador.
Modulation Modulação Impressão de sinais de áudio e vídeo sobre um onda portadora de rádio-frequência (RF), permitindo sua transmissão, sendo demodulado (reprocessado) por um sintonizador-receptor. O sinal de RF pode ser modulado em frequência (FM) ou amplitude (AM). Processo através do qual uma das características de uma forma de onda de RF (ângulo de fase ou amplitude) pode ser modulado, de acordo com as características do sinal de mensagem.
Moiré Pattern Franjas de Moiré Efeito espúrio que aprece na imagem de vídeo quando um sinal de alta freqüência for visualizado numa câmera de CCD apresentando uma formação em pixels próxima (porém, mais baixa) que a do objeto.
Monochrome Monocromático Imagem de vídeo em branco e preto. Sinal de vídeo que representa os valores de brilho (luminância) da imagem, mas não os de cores (crominância).
MOS- Metal Oxide Semiconductor   Semi-Condutor de Óxido Metálico- utilizado em cameras de CFTV e outras.
Motion JPEG   “Técnica de compressão e descompressão de imagens, com qualidade garantida, independentemente do seu movimento ou complexidade, ajustando-se o nível de compressão, que por sua vez define o tamanho do arquivo e, consequentemente, a taxa de bits. “
Moving Picture Experts Group- MPEG   Grupo de peritos em cinema. O Moving Picture Experts Group desenvolve padrões para a compressão de vídeo digital e áudio, sob auspícios da Organização Internacional para Padronização- ISO. Os padrões MPEG são uma série de algorítmos, cada um projetado para uma diferente aplicação. Ver MPEG-1, MPEG-2 e MPEG-4.
MPEG- Moving Picture Experts Group   Algorítmo padrão utilizado na compressão de sinais de vídeo apresentados em varredura progressiva com interlace, com sinais de áudio de alta qualidade, numa larga faixa de relações de compressão, variando entre 1,5 e 100 Mbps, estabelecido pela Moving Picture Experts Group- do qual leva o nome- da Organização Internacional para Padronização (ISO). Adotado na codificação de vídeo/áudio em HDTV e DVC. Ver MPEG-1, MPEG-2 e MPEG-4.
MPEG-1   Padrão usado na compressão de imagens apresentadas em varredura progressiva, juntamente com sinais de áudio. Ver MPEG, MPEG-2 e MPEG-4.
MPEG-2   Padrão utilizado na compressão de sinais de vídeo em varredura progressiva, com ‘interlace’ e áudio de alta qualidade, numa larga faixa de taxas de compressão, variando entre 1,5 e 100 Mbps. Adotado como padrão de codificação de vídeo/áudio em HDTV e DVC. Ver MPEG, MPEG-1 e MPEG-4.
MPEG-4   Algorítmo padrão de áudio e vídeo para a WEB (streaming media), distribuição de CDs, de conversação (videofone) e televisão, estabelecido pela Moving Picture Experts Group- da Organização Internacional para Padronização (ISO), adotando o conceito de perfis e níveis, permitindo que um conjunto de recursos possa ser definido de forma apropriada, para um subconjunto de aplicações. Ver MPEG, MPEG-1 e MPEG-2.
MTBF- Mean Time Between Failure   Tempo-médio entre falhas de componentes ou equipamentos.
MTTR- Mean Time to Repair   Tempo médio de reparo de componentes ou equipamentos.
Multicast   Tecnologia que reduz a necessidade de utilização da largura de banda, proporcionando também um fluxo único de informações para os usuários da rede. Veja também Unicast.
Multimode Fiber Optic Fibra Ótica Multimodo Fibra ótica que suporta mais de um meio de propagação, apresentando altas taxas de atenuação. Não necessita de fonte de luz coerente, podendo utilizar led (ver) como fonte de luz, simplificando transmissores e receptores em termos de geração e decodificação da luz. Excelente solução para redes de dados ou vídeos (CFTV) em distâncias de até 04 quilômetros. Ver Fibra Ótica Monomodo.
Multiplex Multiplexação Transmissão de dois ou mais sinais em um único canal.
Multiplexer Multiplexador Equipamento com multiplas entradas (inputs) de sinais de câmeras, permitindo a transmissão simultanea de sinais de vídeo, de forma independente, a um único equipamento. Os Multiplexadores também são utilizados na transmição de múltiplos sinais de vídeo, áudio ou dados em um único canal. Elé é um “switch” de alta velocidade que transmite sinais sem um canal interferir no outro.
Mux Mux Sinônimo de multiplexador (ver).

N

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

N/C- Normally Closed N/F- Normalmente Fechado Comutador ou circuito normalmente fechado- quando acionado abre.
N/O- Normally Open N/A- Normalmente Aberto Comutador ou circuito normalmente aberto- quando acionado fecha.
Nano- n Nano. Ordem de magnitude 10 -9- equivale a 1 bilionésimo.
ND Filter- Neutral Density Filter Filto de Densidade Neutra Filtro cinzento, reduzindo luzes de todas as frequências e equalizando cores, permitindo maior flexibilidade na abertura ou tempo de exposição da câmera. Por exemplo, em dias muito brilhantes, ou para fotografar uma cachoeira em velocidade mais lenta do obturador, visando o efeito borrão. Mesmo em velocidade ou abertura do obturador mínimizada, ainda assim a imagem obtida seria inadequada. Nestas situações, aplicando-se adequados Filtros DN, uma ou mais paradas podem ser retiradas da exposição, permitindo velocidade mais lenta do obturador e do movimento. Também suavizam imagens devido à difração. Os Filtros ND são quantificados pela sua densidade ótica representada pela sua f-stop.
ND Spot Filter   Filtro graduado de densidade neutra montado no centro da lente, restringindo a quantidade de luz passante ao sensor de imagem.
Network Connectivity Conectividade de Rede Protocolo físico (com ou sem fio) e lógico de conexão de dispositivos ou computadores em uma rede, como a Internet ou a Intranet.
No-Aspherical Lens Lente não-esférica Lente curva que apresenta uma superfície não esférica. Sua fabricação é mais complexa, mas oferece inúmeras vantagens sobre a lente esférica convencional.
No-Break   Fonte de alimentação utilizada principalmente nos sistemas de alta segurança, com a finalidade de manter a alimentação elétrica durante 10 minutos, pelo menos, quando ocorrer falha na rede. A duração desse ‘backup’ depende da capacidade do ‘No-break’ e do consumo de potência do sistema, sendo expressada em VA (Volts x Ampères).
Noise Ruído Sinal espúrio produzido por circuitos elétricos, interno ou externo ao equipamento, interferindo em sinais eletrônicos, prejudicando a comunicação.
Non-Composite Video Vídeo não Composto Sinal de vídeo completo, com exceção das informações de sincronismo.
Non-Drop Frame Time Code   Formato para o código de tempos SMTPE, tendo a contagem de 30 quadros por segundo. Uma vez que o sistema de vídeo NTSC não opera com exatamente 30 quadros por segundo, esse código fará a contagem dos 108 quadros a mais que ocorrem nesse sistema, durante 1 hora. O resultado será o sincronismo incorreto entre o código de tempos e o tempo cronológico. Esse código de tempos resolve tal problema, omitindo (ou cancelando) 2 quadros por minuto, exceto ao final de cada 10 segundos.
Non-Interlaced   Processo de varredura (scanning) por meio do qual cada uma das linhas da imagem é passada pela varredura vertical.
NTSC- National Television System Committee   Padrão de sinal colorido de vídeo utilizado pelas Televisões nos Estados Unidos da América e Japão, possuindo 525 Linhas e 60Hz. NTSC is an analog color encoding system used in television systems in Japan, the United States and other parts of the Americas. NTSC defines the video signal using 525 TV lines per frame, at a refresh rate equal to 30 frames per second. Ver também PAL.
Numerical Aperture   Valor numérico que define a capacidade de absorção de cores de uma determinada fibra. Esse valor corresponde ao seno do ângulo máximo de recepção (incidência).

O

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

Objective Objetiva O primeiro componente óptico montado na parte frontal de um jogo de lentes.
OEM- Original Equipment Manufacturer   Designação de produtos fabricados por empresas terceiras, porém comercializados por empresas licenciadas, em seus próprios nomes.
Ohm Ohm Unidade de resistência elétrica que ocorre entre dois pontos de um condutor elétrico, aos quais se aplica uma diferença de potencial de 1 Volt e uma corrente de 1 Ampere.
OPGW- Optical Ground Wire   Cabo para-raio de linhas aéreas de alta tensão, com núcleo contendo fibras óticas.
Optical Character Recognition- OCR Optical Character Recognition- OCR Tecnologia para reconhecer caracteres a partir de um arquivo de imagem, ou mapa de bits. Através do OCR é possível digitalizar uma folha de texto impresso e obter um arquivo de texto editável.
Optical Radiation Radiação Ótica Emissão que engloba a luz visível, infravermelho e ultra violeta, correspondendo a uma faixa de comprimentos de onda de, aproximadamente, 4 nm a 1 mm.
Optical Transmitter Transmissor Ótico Equipamento eletro-ótico que recebe um sinal elétrico e o converte para um sinal ótico equivalente, pronto para ser propagado por fibra ótica.
Oscilloscope- CRO- Cathode Ray Oscilloscope Osciloscópio de Raios Catódicos Instrumento eletrônico composto de tubo de raios catódicos, utilizado para medir variações de sinais elétricos ao longo do tempo.
OSI-Open System Interconnection   Sistema aberto para interconexão de comunicações padrão ISO, que define a estrutura de protocolos em sete camadas. As camadas de 1 a 3 tratam do acesso à rede, e as de 4 à 7 da comunicação em sí entre os pontos. O controle é passado de uma camada para a próxima, iniciando-se na camada do aplicativo em uma estação, prosseguindo até a camada mais interna, passando pelo canal até a outra estação e subindo pela hierarquia. Funcionalidade semelhante ocorre nas redes de comunicação proprietárias, que incorporam duas ou três camadas de funções uma a uma.
Output Impedance Impedância de Saída Impedância apresentada por um dispositivo à sua carga, medida nos terminais de saída de um transdutor sem carga, considerando-se as demais forças atuantes aplicadas iguais à zero.
Output- O/P Saída Saída de um sinal
Overscan   Condição surgida num monitor de vídeo quando o sinal de rastreio se extende ligeiramente, além dos limites da tela, cortando as bordas externas da imagem.

P

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

PAL- Phase Alternating Line   Padrão de sinal colorido de vídeo adotado pelas televisões no Brasil, Europa, Austrália e Oriente Médio. Neste sistema é utilizada uma onda sub-portadora com freqüência de 3,57945 MHz, cuja fase varia com a saturação instantânea da cor. Define o sinal de vídeo com 625 linhas de TV por quadro, a uma taxa de refresh (ver) de 25 frames por segundo. Ver também NTSC.
Pan   Unidade motorizada utilizada para o movimento horizontal de uma câmera, remotamente.
Pan Tilt   Unidade motorizada que movimenta uma câmera horizontalmente- Pan- e verticalmente- Tilt, remotamente.
Patch Cord   Cordão de fibra ótica mole- permitindo fácil manuseio e conexão.
Patch Panel   Painel que congrega múltiplas terminações elétricas de tele-comunicações e diversos circuitos eletrônicos.
PCM- Pulse Coded Modulation   Modulação por Pulso Codificado.
Peak to Peak- pp   Diferença entre os valores de picos mais altos de tensão negativa e positiva, em um sinal elétrico.
Peak White Inverter   Inversor do Pico de Branco- circuito que converte luzes brancas sobre um fundo escuro, por exemplo util para o registro de veículos com os faróis ligados.
Pedestal   Nível de sinal correspondente ao preto, na forma de onda de vídeo.
PEM- Privacy Enhanced Mail   Antigo padrão para e-mail, com formato HTTPS.
Phase-Locked Loop- PLL   Circuito equipado com um oscilador em que a fase do sinal de saída (ou sua freqüência) se ajusta e segue a fase (ou freqüência) do sinal de entrada, de referência. Para conseguir isso, o circuito detecta qualquer diferença de fase entre esses dois sinais e gera um sinal de tensão para a correção respectiva que, por sua vez, é aplicada ao oscilador para ajustar sua fase (ou freqüência).
Phot   Unidade de fotometria, para níveis de iluminação extremamente altos. Um ‘phot’ é equivalente a 10.000 lux. Photodiode : Um tipo de dispositivo semicondutor, no qual um diodo de junção PN atua como foto-sensor (ou: sensor de luz).
Photo Detector   Dispositivo instalado na ponta de uma fibra ótica, converte luz em energia eléctrica.
Photo Diode Photo Diode Dispositivo utilizado para converter sinais óticos em elétricos.
Photo Effect Foto Detector Fenômeno da emissão de elétrons por um metal quando exposto à luz, também denominado Efeito FotoElétrico (Iver).
Photo Multiplier Efeito Foto-Elétrico Dispositivo de alta sensibilidade à luz (foto-sensibilidade), composto por resistor fotocondutor, composto por sulfureto de cádmio (CdS), possuindo a propriedade de diminuir a resistividade com o aumento da intensidade luminosa incidente. Acoplado a circuitos, permite seu uso em iluminação pública, fotografia, filmagem, luz de advertência, outdoor e etc. Possui rápida resposta, ótima relação sinal/ruído e ampla faixa dinâmica com as desvantagens de fragilidade (tubo de vácuo), funcionamento com alta tensão e sensibilidade a interferências.
Photocell Fotocélula Resistor dependente de luz, ou fotocondutor, composto por sulfureto de cádmio (CdS), possuindo a propriedade de diminuir a resistividade com o aumento da intensidade luminosa incidente. Acoplado a um circuito, permite seu uso em iluminação pública, medição de intensidade luminosa para fotografia, filmagens, acionamento de luzes de advertência, ligação de outdoors, etc..
Photon Foton Partícula elementar que define a luz em termos de energia quântica, sendo considerada como sendo a menor quantidade de energia luminosa. Pacote (quantum) elementar de energia eletromagnética presente na luz, sendo uma partícula de luz igual a um Foton.
Photopic Vision   Faixa de intensidade luminosa entre 105 lux e até aproximadamente 10-2 lux, que pode ser detectada pela visão humana.
Pico Pico Ordem de magnitude 10 -12.
Pigtail Rabicho Pequeno lance de cordão óptico, conectorizado em uma das pontas e terminando em um pedaço de fibra nua na outra, usado para a conexão de equipamentos ópticos.
Pin Hole Lens Lente Pin Hole ou Pinhole Lente com pequeno diâmetro e pequena abertura, para exposição de luz numa câmera escura, permitindo que imagens externas sencibilizem o sensor de imagens ou filme. Em CFTV, fixadas em mini-câmeras, atuam filmando de forma oculta ou espiã, devido ao pequeno diâmetro da lente, praticamente interceptível (dai o nome pin-hole- buraco de pino), podendo ser posicionadas atráz de quadros ou objetos que as disfarcem, gravando imagens de forma sutil.
Ping   Função de rede utilizada para verificar, através do endereço IP ou nome do host, o status de um dispositivo de rede, em termos de resposta..
Pinhole Lens: Lente Pinhole Lente com pequeno diâmetro e pequena abertura, para exposição de luz numa câmera escura, permitindo que imagens externas sencibilizem o sensor de imagens ou filme. Em CFTV, fixadas em mini-câmeras, atuam filmando de forma oculta ou espiã, devido ao pequeno diâmetro da lente, praticamente interceptível (dai o nome pin-hole- buraco de pino), podendo ser posicionadas atráz de quadros ou objetos que as disfarcem, gravando imagens de forma sutil.
PIP- Picture in Picture   Dispositivo utilizado para sobrepor sinal de vídeo sobre outro, em uma exibição.
PIR- Passive Infra Red   Sensor de calor de corpos humanos e animais, acionando gravações e alarmes.
Pixel- Picture Element   Célula fundamental de uma imagem em um chip CCD- formado por um foto-sensor e correspondentes circuitos de leitura.
Plumbicon   Válvula termo-iônica criada pela Phillips, na qual se utiliza uma camada foto-condutiva de óxido de chumbo. Chegou a ser o mais moderno dispositivo de formação de imagens, até a chegada dos chips CCD no mercado.
PoE- Power over Ethernet   Alimentação de tensão a distância, para dispositivos em rede, através do próprio cabo UTP utilizado para a transmissão de dados. Bastante útil em aplicações de monitoramento IP remoto até curtas/médias distâncias- em especial quando não há energia próxima as câmeras.
Polarizing Filter Filtro Polarizado Filtro óptico que transmite a luz em uma única direção (perpendicular à trajetória do feixe luminoso), dentre direções possíveis em 360°. Seu efeito final, é a eliminação de áreas com alto brilho ou apresentando reflexões, tais como as que se tem quando se vê através de vidraças. Em fotografia, os filtros de polarização são geralmente utilizados para escurecer a imagem de um céu azul.
POTS- Plain Old Telephone Service   Sistema telefônico convencional de uso geral na maior parte do mundo, também conhecido como PTSN (Public Switched Telephone Network)- Rede Telefônica Pública Comutada.
P-Picture- Prediction-Code Picture   Termo do MPEG utilizado para designar uma imagem codificada utilizando a pre-edição para compensação de movimento, a partir de uma imagem anterior já gravada, tomada como referência- com isto economizando espaço de arquivamento.
PPP- Point-to-Point Protocol PPP- Protocolo Ponto a Ponto Utiliza interface serial para comunicação entre dois dispositivos de rede ponto a ponto. Por exemplo, um PC conectado por uma linha telefônica a um Servidor.
Pre/Post Alarm Images   Imagens antes e depois de um alarme ou detecção de movimento, armazenadas em um buffer e disponíveis para recuperação posterior.
Preset Positioning   Pré-movimentações ou posicionamentos de funções PTZ (Pan/Tilt/Zoom/Foco) existentes em câmeras móveis (speed-domes), automaticamente repetidos por comandos programados, ativados por detecção de movimentos, ação de alarmes ou acionados manualmente.
Primary Colors Cores Primárias Grupo de cores que combinadas duas a duas, produzem amplo espectro formado por outras cores. Em televisão as cores primárias são vermelho, verde e azul, das quais todas demais cores derivam.
Principal Point Centro de Curvatura Um dos dois pontos que toda a lente ótica curva apresenta, ao longo do seu eixo. O ponto principal (centro de curvatura) mais próximo do dispositivo gerador de imagens, por exemplo o CCD (ver), é usado como ponto de referência para se medir a distância focal da lente.
Progressive Scan   Varre a imagem linha a linha a cada décimo sexto de segundo. As imagens capturadas não são divididas em campos distintos como na varredura entrelaçada. Monitores analógicos reproduzem imagens desta forma.
PROM- Programmable Read Only Memory   Memória ROM que pode ser programada pelo fabricante do equipamento (em lugar do fabricante desta memória PROM).
Protocol Protocol Conjunto de instruções que regulam o fluxo de informações em um sistema de comunicações.. Existem protocolos de hardware e de software. Protocolos de hardwar definem o padrão elétrico e físico dos equipamentos, enquanto que software lidam com a lógica dos dados, sendo o TCP e IP os mais utilizados.
Proxy Server Servidor Proxi. Atua como interface entre o usuário da estação de trabalho de uma Intranet e a Internet, propiciando maior segurança, controle e velocidade, através de serviços de cache. O servidor proxy associado a um servidor gateway ou parte dele, separa a rede corporativa da rede externa, com o servidor firewall protegendo a rede corporativa. O servidor proxy recebe solicitações de serviços de muitos usuários (páginas da web, por exemplo). Sendo o servidor proxy também um servidor cache, procura em seus arquivos páginas da web anteriormente baixadas. Encontrando a página solicitada, a disponibiliza ao solicitante, sem acessar a Internet. Caso a página não esteja no cache, o servidor proxy atua como um client, utilizando os endereços IP para solicitar a página de outro servidor Web- disponibilizando-a ao solicitante. .
PSTN- Public Switched Telephone Network Rede Telefônica Pública Comutada Rede pública mundial de comunicação comutada em telefonia fixa e móvel (da mesma forma que a Internet é a rede mundial IP), fundamentada em comutação por pacotes, sendo presentemente praticamente toda digital.
PSU- Power Supply Unit. Unidade de Suprimento de Energia Unidade de suprimento de energia, podendo ser central ou dedicada.
PTZ Camera: Câmera PTZ Câmera equipada com os recursos de Pan- giro no plano horizontal, Tilt- movimentação no plano vertical) e Lente Zoom.
PTZ Site Driver   Dispositivo eletrônico, geralmente fazendo parte de um comutador matricial de vídeo, que recebe sinais de controle em formato digital e codificado, usado para o comando de movimentos Pan, Tilt, Zoom e Foco (ver).
Pulse Pulso Variação abrupta da voltagem ou corrente elétricas, de um valor para outro e retornam ao valor original, num espaço finito de tempo. É utilizado na descrição de uma variação determinada, numa seqüência de movimentos ondulatórios (periódicos).
P-VOP   Quadro de imagem em um fluxo MPEG-4 de vídeo. Existem vários tipos de VOP. O código P-VOP codifica as diferenças entre imagens. Ver VOP.

Q

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

QAM- Quadrature Amplitude Modulation Modulação da Amplitude em Quadratura Modulação da Amplitude em Quadratura
QoS- Quality of Service   Fornece meios que garantem um determinado nível serviços de uma rede. A qualidade pode ser definida, por exemplo, mantendo-se um determinado nível de largura de banda, nenhuma perda de dados e etc. A QoS em Rede de Vídeo da Axis marca pacotes de dados para vários tipos de transmissão, pemitindo aos roteadores e switches reservarem um valor fixo de largura de banda para estes tipos de tráfego.
Quad   Equipamento analógico utilizado para exibir 4 câmeras simultaneamente, em um único monitor.

R

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

Rack Mount Montagem em Rack Partes ou equipamentos que necessitam ser instalados em racks-padrão- com 19″ de largura (fora a montagem), e altura medida em U, sendo 1U= 1,75 polegadas- ou 44,45 mm.
Radio Frequency- RF Radio Frequencia- RF Sinal de entrada recebido por um receptor, ou sinal de saída emitido por um transmissor, com freqüências acima de 150 Hz.
RAID- Redundant Array of Independent Disks   Tecnologia que consiste na interligação de um determinado número de discos rígidos num equipamento para estocagem de dados em grandes quantidades (volumes), e que pode ser usado, entre outras aplicações, para imagens de vídeo.
RAM- Read and Access Memory   Memória de Leitura e Acesso. Memórias que estoca informações em formato digital quando energizada, instalados na área operacional dos computadores.
Random Interlace Interlace Randômico Método de varredura de vídeo que não define estrita relação entre linhas adjacentes escaneadas, sendo o escanemanto aleatório. Numa câmera, o sincronismo horizontal independente, que se diferencia do tipo de interlace 2:1 onde o sincronismo é intertravado e, dessa forma, apresenta os dois campos de uma imagem em coincidência precisa.
Raster   Área de varredura pré-definida para vídeo-imagens.
Reflected Light Luz Refletida Nível de iluminação da cena multiplicada pela refletância (ver). Isto é o nível de luz disponível para a câmera- e que determina a qualidade da imagem.
Refraction Refração Deflexão da luz vinda de meio com diferente densidade, com incidência obliqua em certos ângulos.
Refrectance Reflectância Nível de luz que reflete numa determinada superfície, geralmente apresentado como percentagem..
Regenerators Regeneradores Unidades instaladas em intervalos regulares ao longo de uma cabo de transmissão, visando detectar sinais fracos ou incipientes, regenerando e retransmitindo as informações.
Registration   Ajuste relacionado com aparelhos receptores e projetores de TV, que assegura a incidência exata dos feixes de elétrons, referentes às três cores primárias, sobre os pontos/ faixas respectivos, na tela fosforescente.
Remote Control: Controle Remoto A transmissão / recepção de sinais para o controle de equipamentos remotos, tais como as unidades ‘pan & tilt’, controles ‘wash and wipe’ , e outros similares.
Resolution Resolução Valor numérico que indica a capacidade de uma câmera (ou sistema de TV) para reproduzir detalhes da imagem, referente ao número de ‘pixels’ que podem ser reproduzidos com boa definição.
Retma   Antigo nome da associação EIA. Em algumas tabelas antigas de testes para vídeo ainda aparece o nome Retma.
Retrace: Retraço No tubo de rádios catódicos, o retorno de um feixe de elétrons ao ponto inicial, após a varredura. De forma típica, o feixe é desligado durante o ‘retrace’. Todos os dados sobre o sincronismo são retidos por essa porção invisível do sinal de vídeo. Também pode se referir ao ‘retrace’ após a varredura feita por cada linha horizontal ou vertical (nos campos).
RF Signal Sinal RF Sinal de radiofreqüência, que pertence à faixa acima de 300 GHz.
RG-11   Cabo coaxial para vídeo, com impedância de 75 Ohms, e com diâmetro externo de aproximadamente 12mm,, podendo transmitir a distâncias de até 400 metros, mas de manuseio mais complicado, devido sua maioar seção.
RG-58   Cabo coaxial com impedância de 50 Ohms, não sendo próprio para circuitos de CFTV. Muito semelhante ao cabo RG-59, apresentando um diâmetro um pouco menor.
RG-59   Cabo coaxial com impedância de 75 Ohms, de uso bastante comum em CFTV, apresentando diâmetro externo de, aproximadamente, 6 mm, oferecendo boa combinação entre a distância máxima admissível (até 250m para video colorido) e qualidade de transmissão.
Ribbon   Estrutura de agrupamento de fibras óticas, onde elas são fixadas e coladas paralelamente, formando pequenas fitas, permitindo a construção de cabos de pequeno diâmetro, com centenas de fibras óticas incorporadas.
Ring Network Topology Topologia de Rede em Anel Dispositivos da rede conectados em série, formando um circuito fechado (anel). Os dados são transmitidos unidirecionalmente, de nó em nó, até atingir seu destino. Uma sinal enviado por uma estação passa por outras estações, através das retransmissões, até chegar a estação de destino. Os sinais sofrem menos distorção e atenuação no enlace entre as estações, pois há um repetidor em cada uma delas, ocorrendo um atraso de um ou mais bits em cada estação, gerando aumento de retardo na rede. É possível adotar anéis múltiplos para incrementar a confiabilidade e o desempenho nesta topologia.
Ripple   Oscilação de pequena amplitude imposta a sinais elétricos estáveis, tal como a alimentação proveniente de fonte de alimentação sem convenientes filtros..
Rise Time Tempo de Subida Tempo que um sinal gasta para passar de uma condição para outra, geralmente medido entre os pontos correspondentes a 10% e 90% dessa transição. O tempo de subida mais curto- isto é mais rápido, exige maior largura de banda.
RMS- Root Mean Square   Valor da voltagem efetiva (em contraposição ao valor de pico) de uma forma de onda de CA. Para uma onda senoidal, esse valor corresponde a 0,707 da tensão de pico. Para qualquer sinal periódico, a expressão matemática de RMS é ‘a raiz quadrada da média aritmética da soma dos quadrados de todos os valores ocorridos durante um ciclo’ [média geométrica].
Router. Roteador Dispositivo que determina o próximo ponto de rede ao qual um pacote de dados deve ser enviado, em direção ao seu destino final. Um roteador cria e/ou mantém uma tabela de roteamento, que armazena informações sobre o melhor trajeto para se alcançar o destino. Um roteador é, por vezes, incluído como parte de um switch (ver) de rede.
Routing Switcher:   Dispositivo eletrônico usado para o roteamento de um sinal fornecido por um usuário (sinal de áudio, vídeo, etc.) em qualquer entrada, para uma saída selecionada por qualquer usuário. Este é um termo de radio-transmissão, equivalente a ‘matrix switcher’ (comutador matricial) de CFTV.
RS-125:   Padrão de componente de vídeo digital da SMTPE.
RS170   Padrão de sincronismo de vídeo da Eletronics Industries Association para sinais de TV em cores nos Estados Unidos da América, de 525 linhas e 60Hz.
RS-232 RS-232 Formato utilizado na comunicação serial de dados digitais de baixa velocidade, definindo o protocolo de comunicação assíncrona entre dispositivos de comunicação single ended (ver) ou de terminação única, não estabelecendo a forma de representação dos bits, ou seja, não definindo o completo formato da mensagem e do protocolo. Interface que, por exemplo, um computador usa para troca de dados com dispositivos seriais, utilizada com freqüência nas comunicações entre mesa de controle e câmeras PTZ. As vantagens do padrão RS-232 são simplicidade e uso somente de dois condutores físicos.
RS-422 RS-422 Versão atualizada do RS-232 (ver), suportando até 10 dispositivos na mesma conexão, o RS-422 é um protocolo de comunicação serial de dados a 04 fios, full-duplex (ver), possuindo comunicação balanceada (sinal transmitido interpretado na recepção como a diferença entre os sinais dos dois fios, sem o terra, com isto, neutralizando eventuais induções de ruído ao longo da linha). Possui comunicação multi-drop (ver), transmitindo dados unidirecionais a altaa velocidade- de até 10Mbit/s, a distância de até 1.200 metros, terminadas ou não terminadas em linhas de transmissão.
RS-485 RS-485 Versão atualizada do RS-422 (ver), suportando até 32 dispositivos na mesma conexão, o RS-485 opera com dois fios, sendo half-duplex (ver), com conexão serial multiponto de links e redes locais. Oferece alta velocidade de transmissão de dados- de até 10Mbit/s, operando com linha balanceada de par trançado (sinal transmitido interpretado na recepção como a diferença entre os sinais dos dois fios, sem o terra, com isto, neutralizando eventuais induções de ruído ao longo da linha), a distância de até 1.200 metros. Especifica características de hardware do driver e do receptor, não definindo o protocolo de dados.
RTCP- Real-Time Control Protocol   Protocolo de suporte, em tempo real, de conferência de pacotes de dados na rede, incluindo a identificação de sua origem e suporte para gateways (ver), tais como áudio e vídeo, bem como de tradutores multicast-para-unicast. Oferece feedback de qualidade dos serviço de receptores multicast (ver), assim como suporte para a sincronização de diferentes fluxos de mídia.
RTP- Real-Time Transport Protocol   Protocolo para o transporte de dados na Internet em tempo real, por exemplo de áudio e vídeo, podendo ser utilizado “mídia on-demand” (ver), assim como em serviços interativos tais como telefonia via Internet.
RTSP- Real Time Streaming Protocol   Protocolo de controle e ponto de partida para a negociação de transportes, tais como a RTP- Real-Time Transport Protocol (ver), multicast (ver) e unicast (ver), e para a negociação de Codecs (ver). O RTSP pode ser considerado um controle remoto que estabelece o fluxo de um servidor de mídia.
RX RX Sigla de equipamento receptor.

S

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

S/N Ratio:   Signal-to-Noise Ratio (ver). Relação de sinais de luminância, crominância e áudio, representando o quociente entre o sinal real e o ruído produzido, indicando quantas vezes o nível do sinal é superior ao nível do ruído. É expressa em dB (decibel), e quanto mais alto for o valor, tanto mais nítida e clara será a imagem reproduzida na tela. O valor em dB é calculado com o logaritmo do quociente entre o valor do sinal normal e o valor RMS do ruído.
Saturation in Color Saturação em Cores Intensidade das cores na imagem ativa, ou graduação com que o olho humano percebe as cores, partindo de uma escala cinza ou branca, com o mesmo brilho. Uma cor com 100% de saturação não contem o branco, já que sua incorporação reduz o nível de saturação. Nos sinais de vídeo PAL e NSTC, o nível de saturação da cor na imagem e num dado instante é dado pela amplitude instantânea da onda sub-portadora de vídeo ativa.
Scanner: Scaner Em CFTV corresponde ao dispositivo equipado com um chip- tipo CCD- especializado em varredura de imagens.
Scanning
Varredura

 

Movimento do feixe de elétrons no tubo de raios catódicos de um monitor ou de um receptor de TV, formatado linha por linha ao longo de sua superfície foto-sensível, reproduzindo a imagem de vídeo. Quando se refere a uma câmera PTZ, significa seu deslocamento no plano horizontal (‘panning’).
Scart   Norma Europeia que trata da conexão de sinais de áudio e vídeo.
Scene Illumination Iluminação da Cena O valor médio do nível de iluminação incidindo sobre uma área delimitada. Normalmente é medido a partir do espectro visível com um fotômetro, cuja sensibilidade espectral se aproxima daquela do olho humano, sendo aferido em ‘lux’.
Scotopic Vision   Nível de iluminação abaixo de 10-2 lux e, assim, invisível para o olho humano.
Screen Splitter   Dispositivo utilizado para mostrar as imagens de duas câmeras em um único monitor, dividindo a tela horizontalmente ou verticalmente.
SCSI- Small Computer Systems Interface   Padrão usado em computadores para definir o software e os métodos de hardware que permitam a conexão de mais dispositivos externos a um barramento de computador.
SDH- Synchronous Digital Hierarchy Hierarquia Síncrono-Digital Sistema síncrono (ver) com grande capacidade de transmissão e simplicidade de construção e controle.
SECAM- Sequentiel Couleur Avec Memoire   Sistema de televisão contendo 625 linhas por quadro (anteriormente, eram 819) e 50 campos por segundo, criado pela França e a antiga URSS. A informação referente à diferença de cores é transmitida seqüencialmente em linhas alternadas, como em um sinal de FM.
Sensitivity Sencitividade Indicação do nível de luz necessário para se obter um sinal de vídeo completo de uma câmera, geralmente especificado em lux.
Serial Data Dado Serial Transmissão de dados sequencialmente no tempo, ao longo de um condutor único. Em CFTV é o método comumente utilizado para a comunicação entre teclados, comutador matricial (matrix switcher) e para o controle de câmeras PTZ.
Serial Interface Interface Serial Interface de comunicação digital na quais os dados são transmitidos e recebidos seqüencialmente ao longo de um condutor único ou de um par de condutores. Os padrões mais comuns de interface serial são RS-232 e RS-422.
Serial Port Porta Serial Porta de entrada / saída de sinais através da qual um computador se comunica com o mundo exterior. A porta serial padrão tem como base a interface RS-232, permitindo a comunicação bidirecional através de um circuito relativamente simples, já que o fluxo de dados é seqüencial.
Server Servidor Estação de processamento central de uma rede de computadores, fornecendo recursos sistêmico-computacionais para as estações de trabalho. O servidor também é um programa-computador que fornece serviços a outros programas, do próprio servidor ou de outros equipamentos, podendo conter qualquer número programas-cliente. Um servidor web é o programa-computador que fornece páginas HTML ou arquivos solicitados pelo cliente (browser).
Sharpness   Controle de detalhes de uma imagem, originalmente introduzido em aparelhos de televisão a cores, que utilisou descodificadores de filtro notch (ver), eliminando detalhes de alta freqüência na região do preto e branco da imagem. O controle de nitidez tentou restaurar alguns de tais detalhes de volta à imagem. Os controles de nitidez são supérfluos nas TVs de alta resolução de hoje.
SHF- Super High Frequency.   Super Alta FreqUência- ou microondas na faixa de 3 GHz a 30 GHz.
Shutter   Circuito eletrônico encontrado em muitas câmeras CCD, que permite alterar manualmente o período de retenção da luz da câmera.
Sidebands   Faixas laterais de freqüência de uma onda portadora, dentro das quais a energia produzida no processo de modulação é conduzida.
Signal-to-Noise Ratio- S/N Relação Sinal-Ruído Relação de sinais de luminância, crominância e áudio, representando o quociente entre o sinal real e o ruído produzido, indicando quantas vezes o nível do sinal é superior ao nível do ruído. É expressa em dB (decibel), e quanto mais alto for o valor, tanto mais nítida e clara será a imagem reproduzida na tela. O valor em dB é calculado com o logaritmo do quociente entre o valor do sinal normal e o valor RMS do ruído.
Silicon Silício Elemento químico (metalóide) utilizado na fabricação de componentes semicondutores.
Simplex Simplex Multiplexador que possibilita a execução de apenas uma função de cada vez, de gravação ou de reprodução. Revendo imagens da mídia não é possível a gravação ou monitoração de imagens em tempo real. O equipamento simplex somente permite o envio numa só direção em uma rede ou comunicação (unidirecionalidade). Veja também full-duplex.
Single Mode Fiber Fibra Ótica Monomodo Fibra ótica de vidro na qual apenas um modo se propaga, fornecendo o máximo em largura de banda. Utiliza fonte de luz laser, propagando em seu cone de recepção (incidência) reduzido. Por tem menor atenuação, pode transmitir sinais a grandes distâncias (até 70 km). Ver Fibra Ótica Multimodo.
SIT- Silicon Intensified Target   Tipo de câmera utilizada em muito baixa intensidade de luz.
Skin Effect Efeito de Película Na transmissão de corrente alternada- AC, ao se aumentar a freqüência, tendência apresentada de se deslocar a energia na superfície externa  do condutor (periferia). .
Slave   Dispositivo secundário à posição de controle, executando as mesmas funções do equipamento mestre, ou parte delas. Uma placa de captura de imagens slave de 16 canais, amplia para 32 câmeras a capacidade do equipamento, originalmente processando 16 imagens.
Slow Scan   Transmissão de seqüências de imagens fixas (congeladas), por meio de sinais digitais ou analógicos, em meio pequena largura de banda, como por exemplo uma linha telefônica. Antiga forma de transmissão de vídeo sobre rede telefônica.
Smear   Efeito espúrio colateral causado pela transferência vertical de carga, em chips de CDD. São apresentadas faixas brilhantes nas partes da imagem com maior brilho. Nas câmeras de melhor qualidade, esse efeito é reduzido ao mínimo, tornando-se quase imperceptível.
SMPTE- Society of Motion Picture and Television Engineers   Associação de Engenheiros de Cinema e Televisão.
SMPTE Time Code   Na edição de vídeo, código de tempos que obedece às normas da SMPTE, sendo formado por um número de 8 dígitos, para indicar horas, minutos, segundos e quantidade de quadros. Cada um desses números identifica um quadro na fita de vídeo. Esse código poderá ser do tipo ‘drop-frame’ ou ‘non-drop-frame’.
SMTP- Simple Mail Transfer Protocol   Protocolo simplificado utilizado para envio e recebimento de e-mails, porém limitado em termos de capacidade de envio de mensagens em fila (receptora). Para aumentar sua eficácia, geralmente é utilizado em conjunto com os protocolos POP3 ou IMAP, estes dois últimos possibilitando gravar mensagens em caixa de correio do servidor e transferi-las periodicamente para o usuário.
SN RATIO Relação Sinal/Ruído Medição do nível de ruído de um sinal, expresso em dB (decibéis). De 45dB a 60dB as imagens geradas aceitáveis, mas com menos de 40dB, tendem a produzir ruído, diminuindo sua qualidade.
SNMP (Simple Network Management Protocol)   Parte do conjunto de protocolos da Internet, tal como definido pela Internet Engineering Task Force. Este protocolo pode apoiar o controlo dos dispositivos conectados à rede para todas as condições que justificam necessidades de controle.
Snow Chuvisco Ruído de caráter aleatório apresentado nas telas de vídeo, geralmente produzido por sinais espurios no cabeamento das câmeras ou pela fraca recepção do sinal.
SOC- System on a Chip   Parte do ASIC- Application Specific Integrated Circuit (ver), especialmente desenvolvido para atender exigências de um determinado aplicativo, objetivando integrar mais funcionalidades em um chip único, benefíciando-se em termos de custo, desempenho e confiabilidade.
Sockets   Método de comunicação entre aplicativos-cliente e servidor através de uma rede, sendo o ponto final de uma conexão. Sockets são criados e utilizados com um conjunto de solicitações de programação ou funções, as vezes chamados de interface de soquets de programação (API).
Software Software Programas e sistemas (diversos programas interagindo) dotados de instruções lógicas em série, que utilizam o computador para realizar tarefas informáticas. Dividem-se em sistemas operacionais, aplicativos, bancos de dados e processos.
Software Compression Compressão de Software Compressão de dados, ou de vídeo em CFTV, objetivando ocupar menor espaço de arquivamento e facilitar a transmissão e recepção de dados pela rede.
Spectral Response Resposta do Espectro Sensibilidade de um dispositivo de imagem a diferentes freqüências de luz. A luz visível é de 300 a 730nm, a luz infra-vermelha- invisível ao olho humano- é de 715 a 850nm.
Spectrum Espectro Em eletromagnetismo, esse termo se refere à representação gráfica da amplitude X freqüência de uma forma de onda. Em ótica, se refere às freqüências luminosas que compõem a luz branca, como se pode ver no arco-íris.
Spectrum Analyzer Analisador de Freqüências Equipamento eletrônico que análisa e expõe as freqüências que compõem um determinado sinal elétrico.
Speed of Light Velocidade da Luz Aproximadamente 300 mil quilômetros por segundo no vácuo, com símbolo “c”.
Speed of Update Velocidade da Atualização Tempo necessário para atualizar uma única imagem.
SPG- Sync Pulse Generator Gerador de Pulsos de Sincronismo Fonte geradora de pulsos de sincronismo.
Spike   Amplitude de onda. Um indesejável aumento momentâneo de corrente elétrica ou sinal.
Split-Screen Unit (Quad Compressor) Quad Equipamento que apresenta, simultaneamente, várias imagens em única tela do monitor. Neste caso (Quad), monstrando quatro imagens, provenientes de quatro câmeras distintas.
Splitter Derivador Equipamento que apresenta, simultaneamente, várias imagens em única tela do monitor.
Splitter- Synchronous Digital Hierarchy Hierarquia Síncrono-Digital Sistema de transmissão síncrona com grande capacidade de transmissão e simplicidade de construção e gerência.
SSL- Secure Socket Layer   Protocolo criptografado utilisando chaves públicas, fornecendo comunicação segura em uma rede. Comumente usado sobre HTTP para formar HTTPS, por exemplo para transações financeiras eletrônicas na Internet. O SSL- Secure Socket Layer- foi substituido pelo TSL- Transport Layer Security (ver).
Staircase (in Television)   O mesmo que ‘color bars’. Imagem produzida por um gerador de sinais de TV, formada por faixas de igual luminância e patamares escalonados de 0, + 20, + 40, + 60 e + 100 Unidades IRE, e com amplitude constante do sinal cromático, na fase de disparo da cor. A amplitude cromática é selecionada nos patamares de 20 IRE (os mais baixos) ou nos de 40 IRE (os mais altos). Essa apresentação escalonada é útil para se verificar a linearidade dos ganhos de luminância e cor, ganho diferencial e diferencial de fase.
Star Network Topology Topologia de Rede Estrela Utilizando cabos UTP ou de par trançado e um Hub como ponto central, que se encarrega de retransmitir todos os dados para todas as estações, com a vantagem de tornar fácil a localização de problemas, já que se um cabo, conector do hub ou uma das placas de rede estiver falhando, apenas o computador ligado ao componente defeituoso ficará fora da rede (Em topologia 10Base2, um mal contato em um dos conectores derruba a rede inteira). Esta topologia se aplica a pequenas redes, já que os hubs costumam ter apenas 8 ou 16 portas. Em redes maiores é utilizada a Topologia de Árvore (ver),
Start Bit: Bit Inicial Bit inicial em um grupo de bits representando um caractere, utilizado para sinalizar a recepção desse caractere na transmissão assíncrona.
Sub-Carrier- SC Onda Sub-Portadora Também designada como SC: 3,58 MHz no sistema NTSC ou 4,43 MHz, no sistema PAL. Estes são os sinais básicos de sincronismo nos sistemas PAL e NTSC. É uma onda senoidal, geralmente gerada e transmitida com a amplitude de 2 V, com uma freqüência de 3,579545 MHz (Sist. NTSC) ou 4,43361875 (Sist. PAL). A sub-portadora geralmente é derivada do sinal primário de um cristal, com 14,318180 MHz (Sist. NTSC) que é dividido por 4, dando como resultado 3,579545. No sist. PAL tem-se uma situação análoga. Todos os demais sinais de sincronismo são direta-mente derivados da onda sub-portadora.
Subnet Sub-Rede Parte identificável (separada) de uma rede especifica, de uma organização por exemplo. Normalmente, uma sub-rede pode representar todas as instalações vinculadas a rede de uma localização geográfica, no mesmo edifício, ou na mesma rede local (LAN). Estando a rede dividida em sub-redes, permite que seja conectada à Internet com um endereço de rede única partilhada. Ver Máscara de Sub-Rede.
Subnet Mask Mascara de Sub-Rede Parte do endereço IP que informa de forma mais eficaz, ao roteador de rede, como encontrar a sub-rede para a qual o pacote de dados deve ser entregue. Utiliza uma máscara dos dados, evitando que o roteador tenha de lidar com os 32-bit dos endereços IP, bastando analisar os bits selecionados. Ver Sub-Rede
S-VHS:   Algorítmo desenvolvido pela JVC para geração e gravação de vídeo, mantendo compatibilidade com o formato VHS (ver), oferecendo melhor resolução horizontal, com até 400 Linhas de TV, geralmente associado com a separação dos sinais Y/C.
Switch   Dispositivo que conecta equipamentos de uma rede, formando um conjunto, selecionando os caminhos de envio de pacotes de dados de uma unidade para seu próximo destino, sendo mais simples e mais rápido do que um roteador, que exige maior conhecimento da rede.
Switching   Ação de mudança do monitoramento de imagens para a próxima câmera, embora o tempo de permanência possa ter sido ultrapassado, reduzindo a quantidade de comutações (saltos).
Swivel Mount   Utilizado na montagem do conjunto câmeras-caixas de proteção, visando obter um mais preciso posicionamento para a obtenção de imagens.
Sync Generator Gerador de Sincronísmo Dispositivo que gera sinal de sincronismo requerido por sistemas de CFTV analógica. produzidos por onda sub-portadora, ‘burst flag’ , sincronismo, sinal de inibição (‘blanking’), varredura H e V e sinal na cor preta. As vareduras H e V são as mais comumente utilizadas em CFTV.
Synchronisation Sincronismo Ocorrência de dois ou mais eventos elétricos ao mesmo tempo. Ver Gerador de Sincronismo.
Synchronous Data Dados de Sincronismo Dados e pulsos de sincronização enviado ao mesmo tempo. Ver Gerador de Sincronismo.
Synchronous Transmission Transmissão Síncrona Método de transmissão cuja sincronização de caracteres é controlada por sinais de sincronização gerados pelas estações receptora e transmissora (contráriamente as comunicações “inicia/pára”). Ambas estações operam continuamente, na mesma freqüência, e são mantidas numa relação de fase desejada. Ver também Transmissão Assíncrona.

T

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

T1   Link de transmissão digital com velocidade de 1,544 Mbps, onde se utiliza um par comum de condutores trançados. As linhas de T1 são usadas para a conexão de redes entre distancias longas. As ‘bridges’ e os ‘routers’ são também utilizados na conexão entre LAN’s e redes T1.
T1 Channels:   Na América do Norte, canal de transmissão digital com velocidade de 1,544 milhões de bits por segundo. Na Europa, canal de transmissão digital com velocidade de 2,048 milhões de bits por segundo. Termo da AT&T para designar um equipamento digital usado na transmissão de sinal formatado no padrão DS-1, com velocidade de 1,544 Mbps.
T3 Channels:   Na América do Norte, canal de transmissão digital com velocidade de 45,304 Mbps, geralmente chamado de DS-3 (pela sua denominação operacional).
TA- Terminal Adaptor   Utilizado para conectar equipamentos de transmissão de video em linhas telefônicas digitais ISDN (ver).
TBC- Time Base Correction Correção da Base de Tempo Sincronização de diferentes sinais em equipamentos, tais como provenientew de multiplexação ou ‘time base corrector’- corretor de base de tempo.
TCP/IP- Transmission Control Protocol Over Internet Protocol   Padrão de comunicação para interconectar redes e computadores, sendo a base para a Internet. O TCP controla a transferência de dados e o IP proporciona o roteamento. O protocolo TCP/IP define como os dados são transmitidos de forma segura entre redes.
TDG- Time and Date Generator   Dispositivo gerador do sinal de hora e data, utilizado em sinais de vídeo..
TDM- Time Division Multiplex Multiplexação Dividida por Tempo- Uso compartilhado em tempo de um canal de transmissão, alinhando diversos sinais e transmitindo um ou mais bytes de cada sinal por vez, num único canal de saída.
TDMA- Time Division Multiple Access   Sistema de multiplexação para digitalização do acesso da telefonia celular, que utiliza a divisão de tempo TDM (ver).
Tearing   Deslocamento lateral das linhas de vídeo produzido pela instabilidade de sincronismo, produzinso imagens com aparência de ter sido rasgadas.
Teleconferencing Teleconferência Reunião virtual realizada através de conexão em rede, com os participantes em locais geograficamente distantes, ou não.
Telemetry Telemetria Sistema de controle remoto, geralmente utilizando dados digitais codificados, destinado a controlar os movimentos de pan (deslocamento no plano horizontal), tilt (deslocamentos no plano vertical), lente zoom, focalização, posicionamento e similares. Sua transmissão é feita geralmente com o sinal de vídeo.
Telnet   Método simplificado que permite a um computador remoto se conectar com outro dispositivo da rede, por exemplo outro computador, com os protocolos HTTP e FTP permitindo acessar arquivos específicos daquela unidade, mas não permitindo logon como usuário pleno, com a opção de configurar o logon como usuário parcial, com privilégios controlados para acessar dados e aplicações específicas.
Termination Conectorização Referência ao tipo de conexão na extremidade de um cabo. Em CFTV a terminação é de 75 Ohms. Em cabos coaxiais o conector é geralmente o BNC. Para cabo de fibra ótica utiliza-se geralmente conector ST.
TFT- Thin-Film-Transistor   Tecnologia aplicada principalmente na fabricação de telas planas em display de computadores e vídeo, que são de qualidade superior à das telas comuns de LCD. A qualidade da cor, tempo rápido de resposta e resolução são excelentes para os sistemas de vídeo.
Tight   Tipo de construção de cabos óticos, onde as fibras são fisicamente fixadas ao elemento de tração do cabo.
Time Base Correction   Método geralmente utilizado para alinhar sinais de vídeo não sincronizados, de multiplexadores de vídeo e divisores quad.
Time Lapse VCR: Time Lapse Gravador de vídeo presentemente em desuso, mais comumente no formato VHS, dispondo de funções utilizadas em CFTV tais como: disparo de alarme externo, registro da data e hora da gravação de vídeo, procura de imágens e etc.
Time Multiplexing Multiplexação por Tempo Técnica aplicada para a transmissão seqüenciada de dados ou imagens com retardos de tempo, de forma coordenada.
Touch Screen Control   Sistema que exibe os comandos na tela de um monitor especial, inexistindo teclado. Para controlar as funções, basta tocar o símbolo, foto ou palavra específica na tela, para ativar o processo relacionado. Muito utilizado em aplicações públicas, em totens localizados em áreas de grande circulação de pessoas, tipo aeroportos.
T-Pulse to Bar   Termo relacionado com a resposta de freqüência de equipamentos de vídeo. Um sinal de vídeo contendo pulsos ‘T’ de igual amplitude e porções em barra (valor contante) é aplicado ao equipamento em teste, sendo depois as amplitudes relativas do pulso ‘T’ e das porções em barra, medidas no sinal de saída. A perda na resposta será detectada sempre que uma parte do sinal apresentar amplitude menor que a do outro. Tracking: Ângulo e velocidade com os quais a fita passa pelo cabeçote de vídeo.
Transcoder Transcodificador Dispositivo utilizado para converter um formato de vídeo codificado em outro, como por exemplo, converter o sinal NTSC em PAL. Algumas vezes esse termo é usado em lugar de ‘translator’.
Transducer Transdutor Dispositivo utilizado para converter uma forma de energia em energia elétrica. Por exemplo, em Fibra Ótica a conversão de sinais luminosos em elétricos. Translator: Dispositivo utilizado para converter um conjunto de componentes em outro, como por exemplo, para a transformação de sinais Y, R-Y, B-Y em sinais RGB.
Translator Tradutor Dispositivo utilizado para converter um conjunto de componentes em outro, como por exemplo, para a transformação de sinais Y, R-Y, B-Y em sinais RGB.
Transponder   Circuito eletrônico utilizado em satélites, para receber um sinal com link em terra, amplificá-lo e convertê-lo numa freqüência diferente, para depois transmiti-lo de volta à terra.
Tree Network Topology Topologia de Rede em Árvore Série de barras interconectadas a uma barra central, com ligações realizadas através de derivadores, exigindo cuidados adicionais, pois em cada ramificação o sinal se propagará por dois caminhos, exigindo que estejam perfeitamente casados em termos de impedância. Por este motivo, as redes em árvore operam com menores taxas de transmissão frente a redes em barra comum.
TSL- Transport Layer Security   Protocolo criptografado utilizando chaves proprietárias, fornecendo comunicação segura em uma rede. Comumente usado sobre HTTP para formar HTTPS, por exemplo para transações eletrônicas financeiras na Internet. O TSL- Transport Layer Security (ver) substituiu o SSL- Secure Socket Layer (ver).
TTL- Transistor-Transistor Logic   Termo de eletrônica digital usado principalmente como referência à capacidade de um circuito de ser conectado diretamente ao sinal de entrada/saída de equipamentos digitais. Com essa compatibilidade, elimina-se a necessidade de circuitos de intermediários (de interface). Geralmente, os sinais de TTL ficam restritos a duas condições, valor alto e valor baixo, sendo assim mais limitados que os sinais analógicos. O termo também é empregado para indicar a visualização através de lentes (thru-the-lens) ou medição de cores.
TVL- TV Lines Linhas de TV Quantidade de linhas de varredura vertical de uma câmera ou monitor. Método que define a resolução em vídeo analógico.
Twisted-Pair Par-Trançado Cabo formado por dois condutores isolados e retorcidos / trançados juntos. Já que ambos os condutores ficam quase igualmente expostos às interferências, o ruído diferencial é sempre mais reduzido.
TX TX Equipamento transmisor.

U

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

UDP- User Datagram Protocol   “Protocolo de comunicação que oferece serviço limitado para intercâmbio de dados em uma rede Internet (IP), sendo uma alternativa para o Transmission Control Protocol (TCP). A vantagem do UDP é que ele não é obrigado a entregar todos os dados e pacotes na rede, que pode cair em acentuados congestionamentos, sendo portanto adequado transmissão de vídeo em tempo real. “
UHF Signal Sinal UHF Sinal de freqüência ultra elevada. Em televisão, refere-se ao espectro de radio-frequências entre 470 MHz e 850 MHz.
Unbalanced Signal Sinal Desbalanceado Em CFTV, referência ao tipo de transmissão de sinais de vídeo por meio de cabo coaxial. É denominado ‘desbalanceado’ porque o sinal passa somente pelo condutor central do cabo, sendo a blindagem usada para equalizar a diferença de potencial entre as extremidades desse cabo. Underscan: Decréscimo no valor do rastreamento H e V, de forma que as quatro bordas de uma imagem se tornem visíveis na tela do monitor.
Unicast   Comunicação entre um único remetente e um único receptor de uma rede. Nova conexão é restabelecida para cada novo usuário. Ver também Multicast..
Unterminated   Entrada em um sistema de CFTV que exige transferência do sinal (looping) para outro equipamento.
UPnPTM   Conjunto de protocolos de uma rede de computadores, permitindo a detecção peer-to-peer automática de dispositivos da rede. O UPnP é promovido pelo Forum UPnP.
UPS- Uninterruptible Power Supply   Fonte de alimentação com bateria utilizada principalmente nos sistemas de alta segurança, com a finalidade de manter a alimentação elétrica quando ocorrer falha na rede. A duração do ‘backup’ depende da capacidade do ‘No-break’ e do consumo dos equipamentos, sendo expressada em VA (Volts x Ampères).
URL- Uniform Resource Locator URL Um endereço na rede.
USB- Universal Serial Bus USB Interface plug-and-play entre um computador e periféricos (scanners, impressoras etc).
UTP- Unshielded Twisted Pair Cabo UTP Cabo com um ou mais pares de condutores de cobre isolados, trançados segundo normas específicas, formado um único envoltório. Atualmente é o meio mais comum para transitar sinais de telefonia e dados entre computadores. Também muito utilizado na condução de sinais de câmeras de CFTV para DVRs (ver DVR)- com o auxílio de baluns (casadores de impedância), que podem ser passivos (distâncias de até 300 metros) ou ativos (chegando a 1.600 metros), sendo uma solução para as limitações do cabo coaxial, em especial devido a distância e potencial para neutralização de frêquencias espúrias.
UV- Ultraviolet UV- Ultravioleta Radiação ótica com comprimento de onda menor do que a radiação visível, aproximadamente entre 4nm e 400nm.

V

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

V.24   Lista de definições entre equipamentos terminais e modems.
V.34   Modem de 28.800 Bps para PSTN and circuitos de linha locados.
Variable Bit Rate   Método de transmissão cuja sincronização de caracteres é controlada por sinais de sincronização gerados pelas estações receptora e transmissora (contráriamente as comunicações “inicia/pára”). Ambas estações operam continuamente, na mesma freqüência, e são mantidas numa relação de fase desejada. (Ver também Transmissão Assíncrona).
Varifocal Lens Lente Varifocal Lente que permite ajuste manual entre dois pontos focais, em função do campo de visão requerido. Permite ampla gama de distâncias focais dentro de sua amplitude específica. Ver também Lente Fixa.
VDU- Video Display Unit Unidade de Exibição de Vídeo Monitor de vídeo.
Velocity of Propagation Velocidade de Propagação Velocidade da transmissão de um sinal. No espaço, as ondas eletromagnéticas se deslocam com a velocidade da luz. Nos cabos coaxiais, essa velocidade é reduzida pelo material isolante. Geralmente é expressada como uma percentagem da velocidade no espaço.
Vertical Interval Intervalo Vertical A parte do sinal de vídeo que surge entre o final de um campo e o início do campo seguinte. Durante esse intervalo de tempo, o feixes eletrônicos no monitor são interrompidos (ficando invisíveis), para que possam retornar à base da tela e reiniciar a varredura até o topo.
Vertical Interval Switcher Comutador de Intervalo Vertical Comutador matricial (matrix switcher) que transfere a ligação de uma câmera para outra exatamente no intervalo vertical, produzindo assim uma comutação contínua. Isso se torna possível somente quando as diversas fontes de câmeras estiverem sincronizadas.
Vertical Resolution Resolução Vertical Detalhes da crominância e da luminância apresentados verticalmente na tela do tubo de raios catódicos. É limitada pelo número de linhas de varredura.
Vertical Retrace Retraço Vertical Retorno do feixe eletrônico ao topo da tela de um monitor de TV ou do sinal de leitura do CCD (ver) de uma câmera de CFTV ao seu início, depois de completada a varredura de um campo.
Vertical Shift Register:   Sistema utilizado na tecnologia de CDD por meio do qual o valor da carga é lido por foto-sensores de uma ‘interline transfer’ ou de um ‘frame interline transfer’.
Vertical Sync Pulse Sincronismo de Pulso Verticaç Uma parte do intervalo de inibição- ‘blanking’ (ver) do sinal vertical, formada pelo nível de inibição, quando se faz o sincronismo da verredura vertical do aparelho de TV com o sinal composite de vídeo. Cada imagem tem início na mesma posição vertical.
Vestigial Sideband Transmission:   Sistema de transmissão em que uma das banda laterais da onda portadora só é transmitida parcialmente.
Vetorscope   Instrumento semelhante ao osciloscópio, utilizado para verificar e/ou alinhar a fase e amplitude dos três sinais a cores (RGB).
VGA: Video Graphics Array VGA
VHF- Very High Frequency VHF Faixa de sinais com freqüências entre 30 e 300 MHz. Em televisão, a Banda I de VHF utiliza freqüências entre 45 MHz e 60 MHz, enquanto que a Banda III utiliza freqüências entre 180 MHz e 215 Mhz. A Banda II é reservada para transmissões de rádio em FM, com as freqüências entre 88 MHz a 108 MHz.
VHS- Video Home System   Formato de gravação de vídeo desenvolvido pela JVC, utilizado em equipamentos de vídeo domésticos e em CFTV.
Vídeo Balun Transceiver Conversor para Par-Trançado Dispositivo para transmissão de sinais de vídeo através de cabo de par trançado, sem blindagem, entre distâncias de até 300 m (em B/P) e 200 m (a cores). Essa unidade é prevista para ser usada com os condutores das redes telefônicas comuns.
Video Bandwidth:   A frequência mais alta que um sinal de vídeo pode atingir. Quando mais alta for a largura de banda de vídeo, tanto melhor será a qualidade da imagem. Num gravador de vídeo, ao se produzir uma banda de vídeo mais larga, tem-se uma imagem com mais detalhes e de alta qualidade apresentada na tela. As larguras das bandas de vídeo em serviços de estúdio, variam entre 3 e 12 MHz.
Video Distribution Amplifier- VDA Amplificador da Distribuição de Vídeo Equipamento utilizado para tornar mais forte o sinal de vídeo, de forma a poder ser distribuído simultaneamente entre um grande número de monitores.
Video Decoder Video Decoder Servidor de vídeo ou Video Server- decodificador de sinais IP em analógicos.
Video Encoder Video Encoder Servidor de vídeo ou Video Server- codificador de sinais analógicos em IP
Video Equalizer   Dispositivo utilizado para compensar as diferente perdas em freqüência e/ou fase, na transmissão do sinal de vídeo.
Video Framestore   Dispositivo que permite a estocagem digital de uma ou mais imagens, para a apresentação posterior em um monitor de vídeo.
Vídeo Gain Ganho de Vídeo Ganho de sinal de vídeo na faixa de tonalidade clara-escura, proporcionalmente aos níveis de tensão relativos ao preto e branco. Demonstrado no osciloscópio (monitor de forma de onda) pela diferença dos níveis de voltagem do ponto mais claro do sinal branco, na imagem ativa, estando relacionado com contraste.
Vídeo In-Line Amplifier   Dispositivo utilizado para amplificar um sinal de vídeo.
Video Monitor Monitor de Vídeo Equipamento utilizado para exibir imagens de vídeo, provenientes de TVs, câmeras de CFTV (monitor analógico ou digital) de computadores (monitor digital) ou de instrumentos de medição ou testes (monitor analógico ou digital).
Video Printer Impressão de Vídeo Dispositivo utilizado para converter sinais de vídeo em impressões gráficas, tanto para sinal monocromático (B/P) como a cores. São apresentados em formatos diversos, sendo necessário um tipo especial de papel para a impressão.
Video Signal Sinal de Vídeo Sinal elétrico onde estão contidos todos os elementos de uma imagem gerada por uma câmera ou por qualquer outra fonte de sinais de vídeo.
Video Switcher Comutador de Video Dispositivo utilizado na comutação manual entre uma câmera e vários monitores ou a comutação automática, na ocorrência de situações de alarme.
Video Wall   Conjunto de vários receptores de vídeo, dispostos lado a lado que, ao ser visto à distância, se apresenta como uma tela gigante.
VITS- Video Insertion Test Signals   Sinais eletrônicos inseridos nas linhas invisíveis (no sistema PAL linhas 17, 18, 330 e 331), visando determinar a qualidade da recepção.
VLF- Very Low Frequency   Referência à faixa de freqüências entre 10 e 30 KHz.
VMD- Video Motion Detector Detector de Movimento de Video Processo de detecção de movimento por análise eletrônica da cena ou através de técnicas neutrais de computação.
VMS- Video Matrix Switcher Comutador Matricial de Vídeo Equipamento utilizado para fazer a comutação entre uma câmera, VCR, impressora de vídeo ou unidade similar, e mais de um monitor, VCR, impressora de vídeo ou unidade similar. É muito mais complexo e apresenta mais recursos que os comutadores de vídeo simples.
VOD- Video on Demand   Serviço para uso do público, que permite ao usuário assistir qualquer programa de TV e quando desejar, através de um equipamento semelhante a um VCR, equipado com o recursos de pausa, avanço rápido, rebobinar, etc. Também aplicável à Internet, para transmissões de vídeo já gravados e disponíveis a qualquer tempo para o público.
VOIP- Voice Over Internet Protocol   Sistema de comunicação por voz, através da Internet, utilizando-se o protocolo IP.
VOP- Video Object Plane   Quadro de imagem em um fluxo MPEG-4 de vídeo. Existem vários tipos de VOP. Um I-VOP é quadro da imagem completa. Um código P-VOP codifica as diferenças entre as imagens, enquanto ele é mais eficiente para fazer isso. Caso contrário, códigos de toda a imagem, que também pode ser uma imagem completamente nova.
VPN- Virtual Private Network
VR- Virtual Reality Realidade Virtual
VS- Vertical Sync  Sincronismo Vertical

W

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

WAN: Wide Área Network. Rede de longa distância. A ligação entre duas metrópoles constituem uma WAN. Similar a LAN, mas em escala geograficamente maior.
Waveform Monitor Monitor de Forma de Onda
Wavelet Tipo especial de compressão de sinal de vídeo, mais adequado aos sistemas de CFTV, que oferece relações de compressão mais altas e qualidade igual ou superior à do padrão JPEG.
WDM- Wavelength Division Multiplexing Divisão Multiplexada por Onda Multiplexação que aloca diversos canais em comprimentos de onda diferentes, para transmissão por uma mesma fibra.
WDM- Wavelength Division Multiplexing Multiplexação por divisão de ondas harmônicas.
WDR- Wide Dinamic Range Equalização de imagens através da compensação do branco- visando maior nítidez mesmo com excessiva iluminação de fundo. O WDR opera um obturador com dupla velocidade (dual-speed), permitindo a filmagem distinta de ambas condições do ambiente- interno e externo- reproduzindo-as concomitantemente- resultando em imagens naturais, possibilitando que câmara instalada em ambiente interno, focando uma janela com forte incidência de luz externa, seja capaz de produzir imagem nítida através da separação dos sinais dos dois ambientes. O processador da câmera combina as duas imagens, resultando numa exposição nítida.  Já as câmeras convencionais expostas a grandes diferenças de iluminação, principalmente focalizando janelas, tendem a produzir imagens com fortes sombras.
Web Server  Servidor Web Programa que permite aos navegadores Web recuperarem arquivos de computadores conectados à Internet. O servidor Web atende a solicitações dos navegadores da Web e ao receber uma solicitação para um arquivo o envia para o navegador. A função primária do Servidor Web é prover páginas para computadores remotos,  necessitando ser instalado em um computador permanentemente conectado à Internet. Também registra o acesso ao servidor, ao mesmo tempo servindo paara monitoramento remoto.
Web Video Server Decodificam imagens analógicas captadas por câmeras convencionais, gerando sinais digitais IP, permitindo transferências diretas para a Internet ou rede de computadores, possibilitando tratá-las através de programas de controle de imagens ou, simplesmente, servindo para divulgações via IP (tipo Big-Brother). Ver Incoder.
WEP- Wired Equivalent Privacy Protocolo de segurança wireless (ver), especificado no padrão 802.11 do IEEE (ver), projetado para rede local sem fios WLAN (ver) com nível de segurança e privacidade compatível com o esperado para uma LAN com fio. A segurança ocorre em dois diferentes níveis: criptografia a 40-bits e a 128-bits, sendo esta última mais segura.
White Balance  Balanço do Branco Processo eletrônico usado nas câmeras de vídeo para a retenção da cor verdadeira. É executado eletronicamente, tendo como base qualquer objeto branco na imagem.
White Level Nível do Branco Parte do sinal de vídeo que representa a conversão da parte branca de uma imagem, portanto a mais brilhante, mantida com 0,7 V do nível de inibição, correspondente a 1Volt pico a pico (ver), enquanto que a parte preta da imagem é considerada como 0 V. Ver White Balance.
Wi-Fi
WINS- Windows Internet Naming Service Facilidade do Microsoft Windows NT Server, que gerencia de forma automática a associação de nomes das estações de trabalho e locais com endereços IP, sem envolvimento do usuário/administrador em mudanças de configuração.
Wireless Transmissão digital sem fio, por rádio, a um receptor, utilizada na transferência de dados de comando e/ou imagens geradas por câmeras IPs remotamente instaladas, quando a instalação de cabos físicos é enti-econômica ou não permitida, com a antena transmissora com visada direta para a antena receptora ou utilizando pontes (bridges) eletrônicas de transferência. Ver também Wlan- Wireless LAN.
WLAN- Wireless LAN Rede local sem fios que permite a trasnmissão de dados por rádio digital a um receptor, que se conecta a rede LAN com fio, e por sua vez ao servidor. Ver também Wireless.
Wow Oscilações de freqüência na altura do som, causadas na variação da velocidade relativa entre cabeçote e fita, num equipamento que utiliza fita magnética para gravação / reprodução.
WPA-PSK- Wi-Fi Protected Access- Pre-Shared Key Método de criptografia sem fio utilizando chave pré-compartilhada PSK- Pre-Shared Key (ver) para o gerenciamento de chaves, que podem ser inseridas como valores hexadecimais manuais, tais como caracteres ou senhas, propiciando um maior grau de segurança que o WEP- Wired Equivalent Privacy (ver).
W-VHS:  Padrão ampliado de VHS da JVC, apresentando um formato de alta resolução e uma relação entre eixos (aspect ratio) de 16 : 9.

X

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

X.21 Normatização técnica de interface de dados, em redes públicas de dados síncronas- ISDN (ver).

Y

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

Y, R – C , B – Y  Conjunto dos componentes do sinal de vídeo no sistema PAL, bem como para aplicações em codificadores e decodificadores do sistema NTSC: Y é o símbolo do sinal de luminância, R – Y é o primeiro sinal-diferença de cores e B – Y é o segundo sinal-diferença de cores.
Y, U, V  Componentes de luminância e diferença de cores (nos sistemas PAL e NTSC os símbolos são diferentes: Y, R – C, e B – Y) com a derivação do Sinal RGB (ver), feita de forma idêntica.
Y/C Formato de vídeo encontrado nos gravadores Super-VHS. A luminância é simbolizada por Y, sendo produzida em separado da crominância. Dessa forma, para obter-se um sinal de saída Y/C perfeito, num gravador Super-VHS, é necessário usar dois cabos coaxiais.

Z

Compilação da PROTecnos Tecnologia Digital

Z- Impedance Símbolo “Z” utilizado para representar a impedância (ver) elétrica.
Zoom Lens Lente Zoom Jogo de lentes que, aproximando-se ou afastando-se uma da outra, variam a distância focal, manténdo o objeto focalizado, isto é aproximando ou afastando-o do observador. Pode ser controlado manualmente, por meio de mesa operadora ou teclado do DVR, acionando-se Zoom In (zoom ativado) ou Zoom Out (zoom desativado).
Zoom Ratio Relação de Zoom Expresão matemática dos dois valores extremos de distância focal, que ocorrem num jogo de lentes zooms determinado.
Dados Assíncronos A mais comum forma de dados, sem nenhum pulso (clock) de disparo ou informação de sincronismo.
Emenda Ótica União permanente ou temporária de duas pontas de fibras por técnicas mecânicas ou de fusão. Na emenda por fusão, as fibras são decapadas de seu revestimento, clivadas (cortadas) em suas extremidades, alinhadas e fundidas por um arco elétrico, recebendo no final um invólucro protetor. Nas emendas mecânicas, as fibras recebem o mesmo tratamento, porém não são fundidas, mas apenas fixadas alinhadas por meio de um conector.
Encamisamento Revestimento externo de um bastão de pré-forma com um outro tubo de sílica. que passará a fazer parte da casca da fibra. Técnica usada para aumentar a produtividade em linhas de produção de pré-formas.
 Adress Endereço Sequencia de bits, caracteres ou grupos de caracteres que identificam a localização (endereço) de uma estação de trabalho na rede.
Enlace Ótico Transmissor e receptor conectados por cabo ótico.
ERB- Estação Rádio Base Estação que conecta por rádio, telefones celulares e transmite seus sinais aos CCC. É o núcleo de uma célula.
Espalhamento Mudança de direção de uma onda (para várias direções), depois de atingir partículas distribuídas aleatoriamente.
Espectro Ótico Faixa de comprimentos de onda da radiação ótica (infravermelho + radiação visível + ultravioleta).
Flange de Lentes Forma mecânica de montagem de Lentes: C Mount= 15,5 mm, CS Mount= 12,5 mm.
Fonte Ótica Meio utilizado para converter sinal elétrico em ótico, utilisando LED (ver) ou Laser (ver).
Função ‘f’ Relação existente entre a distância focal com o efetivo diâmetro da lente. Quanto menor a função ‘f’, maior é a quantidade de luz que passa. A função ‘f’ afeta diretamente a profundidade do campo.
Gravação por Detecção de Movimento Uma series de frames de vídeo é comprimida e armazenada em ciclo continuo, registrando um certo número de quadros e, em seguida, gravando novamente sobre eles ou abortanado as imagens repetitivas (uma parede por exemplo), até que seja detectado um movimento pela câmera ou pelo DVR, ou um sinal de alarme. Quando isto ocorre, passa a gravar normalmente, voltando ao status de ciclo contínuo depois que o movimento cessa. Isto significa que determinada quantidade de quadros antes e depois do movimento é gravada, além da cena do movimento. Isto diminue a necessidade de espaço de gravação e racionaliza o pesquisa das cenas gravadas.
Guia de Ondas Estrutura condutora ou dielétrica capaz de suportar e propagar um ou mais padrões de campo eletromagnético (modos). Exemplo: Fibra Ótica.
Índice de Refração Propriedade de um meio de transmissão ótico, correspondente à proporção entre a velocidade da luz no vácuo e a sua velocidade no meio de transmissão.
Íris Eletrônica Circuito presente em determinadas câmeras CFTV, que tenta reproduzir Lentes Auto-Iris mecânicas, variando automaticamente seu obturador de imagens, diminuindo ou aumentando a incidência de luz mesmo com o uso de Lentes Íris-Fixa ou Manual. Utilizado principalmente em Mini-Câmeras- que não podem utilizar Lentes Auto-Iris, devido a limitações de tamanho.
Írus Fixa Abertura fixa do diâmetro de entrada de luz da lente.
Janelas de Transmissão Comprimentos mais eficazes de ondas de operação de fibras óticas, onde ocorrem atenuações mínimas. São usadas três janelas: 1ª janela: 850 nm- aplicável a fibras multimodo; 2ª janela: 1310 nm- aplicável a fibras multimodo ou monomodo; 3ª janela: 1550 nm- aplicável a fibras monomodo.
Linhas Cruzadas Diafonia. Transferência de informações de um guia de onda para outro adjacente.
Ocular O ultimo componente óptico montado na parte traseira (posterior) de um jogo de lentes (o que fica mais próximo do chip CCD- ver).
Perfil de Índice Maneira pela qual o índice de refração varia na seção transversal de uma fibra ótica.
Perfil de Índice- Degrau Característica de tipos de fibra que apresentam índices de refração constantes ao longo do núcleo e variação abrupta nas interfaces núcleo-casca. Perfil típico das fibras óticas monomodo standard.
Perfil de Índice- Gradual Característica de tipos de fibra onde os índices de refração do núcleo varia continuamente em função da distância do eixo central. A variação pode se dar com perfil parabólico, típico de fibras multimodo, ou com perfil triangular, típico de fibras monomodo com dispersão deslocada.
Potência Ótica Taxa pela qual a energia é absorvida, recebida, transmitida, transferida, etc, por unidade de tempo, expressa em Watts.
Raio de Dobramento Menor raio de curvatura que uma fibra pode apresentar, sem causar aumento significativo na atenuação..
RDSI- Rede Digital de Serviços Integrados  Rede digital de telecomunicações que permite a transmissão em banda larga.
Receptor Ótico Equipamento opto-eletrônico que recebe um sinal ótico e o converte para um sinal elétrico equivalente.
Rede de Banda Larga Rede com capacidade de transportar maior quantidade de informações concomitantemente, em sinais de voz, vídeo e dados, em alta velocidade.
Resposta de Frequência Capacidade de um dispositivo em transmitir ou sintonizar um determinado intervalo de frequências.
Revestimento Colorido Revestimento pigmentado da fibra ótica, com o objetivo de identificação.
Revestimento Primário Revestimento de proteção da fibra ótica, comumente em acrilato, aplicado em dupla camada logo após o estiramento, evitando a formação de microcurvaturas, causadoras de atenuação e conferindo resistência mecânica.
Revestimento Secundário Revestimento aplicado sobre uma ou várias fibras óticas, para proteção mecânica do cabo.
Sílica Dióxido de silício em forma vítrea. Quartzo
Sílica Dopada Sílica contendo pequenas porcentagens de componentes químicos capazes de alterar seu índice de refração.
Tamanho do Sensor de Imagem Dimensão, geralmente expressa em polegadas, do sensor de imágem de uma câmera. Por exemplo: CCD (ver) de 1/3″, CCD de 1/4″, etc.
Torno de Deposição Equipamento utilizado para a confecção de pré-formas de fibra-ótica. No processo MCVD (forma de produção massiva de fibras-óticas desenvolvido pela AT&T e Bell Laboratories), o torno é dotado de garras que prendem o tubo de sílica, que em movimento de rotação uniforme sofre injeção, em seu interior, de cloretos para deposição por oxidação. O torno é dotado de queimadores que percorrem o tubo, elevando sua temperatura, permitindo a deposição dos cloretos.
Torre de Estiramento Utilizada para estirar o bastão de pré-forma, transformando-o em fibra ótica. É dotado de uma cabeça onde a pré-forma é aquecida até adquirir consistência pastosa, e de um sistema de tracionamento, que controla o diâmetro da fibra estirada. O mesmo que Torre de Puxamento (ver).
Torre de Puxamento Utilizada para estirar o bastão de pré-forma, transformando-o em fibra ótica. É dotado de uma cabeça onde a pré-forma é aquecida até adquirir consistência pastosa, e de um sistema de tracionamento, que controla o diâmetro da fibra estirada. O mesmo que Torre de Estiramento (ver).

Em constantes processos de atualização…


Ultima atualização: 28/01/2013 - 0 Comentários
Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *